Madeira prepara-se para vacinar crianças logo que as vacinas chegarem a Portugal

O secretário regional da Saúde e Protecção Civil agradeceu hoje à população madeirense “a sua cidadania” e por ter colocado como prioridade “os interesses de todos nós”, estando a vacinar-se e a testar-se. Segundo o secretário, aumentou-se já um ponto percentual na vacinação na RAM, que atinge já os 86%. Apesar disso, como já disse o FN, o número de infectados continua a crescer.

Agradecendo também aos profissionais públicos e privados envolvidos na vacinação e testagem, Pedro Ramos avisou que este trabalho necessário “não terá fim tão cedo”.

O aumento dos casos, disse, “é expectável”. “Hoje teremos mais de 100 casos”, declarou. “Temos actualmente 108 cadeias de transmissão”, que é necessário interromper. Para isso, apelou ao uso da máscara e à testagem massiva, bem como a vacinação.

“Se tiver sintomas respiratórios, não vá trabalhar. Faça teste e aguarde o resultado”, recomendou. “Contacte a empresa, contacte a escola, ou qualquer outro local onde desenvolve a sua actividade”.

A SRSPC vai continuar a reunir-se com as grandes superfícies, disse.

“Hoje estávamos à espera da notícia da Agência Europeia do Medicamento”, referiu, relativamente à vacinação em crianças. “Mas temos já prenúncios favoráveis da Organização Mundial de Saúde, da Sociedade Portuguesa de Pediatria, embora existam ainda algumas dúvidas que são legítimas, e que têm a ver com a quantidade de vacinas que chegarão a Portugal no mês de Dezembro, e que por isso vão estabelecer mais uma vez critérios de prioridade”.

“Estamos atentos, e preparados para iniciar a vacinação de todas as crianças que possam ser vacinadas com autorização dos pais (…) Nesse sentido, e enquanto esperamos, a primeira remessa das vacinas (…) chegará a Portugal a 20 de Dezembro. Serão cerca de 300 mil doses”, adiantou.

Pedro Ramos disse que a Madeira será contemplada com 7500 doses.

O INFARMED, acrescentou, está a desencadear esforços no sentido de, durante o mês de Dezembro, mais remessas virem para Portugal.

“As vacinas para as crianças são diferentes”, mencionou, com dosagem mais adequada. Segundo contactos com a Pfizer, deverão ser administradas com um intervalo de 21 dias; trata-se de duas doses.

“Muitos países já estão a vacinar crianças”, declarou.

Por outro lado, Pedro Ramos disse-se muito satisfeito com a percentagem que a Madeira já conseguiu atingir de vacinados entre os 12 e os 17 anos: 81 por cento de vacinação completa.

Entre os profissionais de saúde, 42 por cento já têm a terceira dose. Essa percentagem aproxima-se, também, nas estruturas residenciais para idosos.

Na vacinação da gripe, que segue também em simultâneo, já foram vacinados 36.388 utentes.

Desde 1 de Julho, no aeroporto, já foram feitos, até 17 de Novembro, 220 mil testes de rastreio.

435.951 mil testes de antigénio já foram feitos até agora, num investimento de 7 milhões de euros por parte do Governo Regional. Esta testagem massiva, associada à do SESARAM, corresponde a 510.951 testes realizados até agora.

Dos testes PCR, 708.257 testes correspondem a um investimento de mais de 35 milhões de euros do GR.

Nos laboratórios do continente já foram realizados mais de 145 mil testes PCR e antigénio.

“Sem contabilizar os casos que estão previstos para hoje, na RAM, estão confirmados 13.258 casos, 12621 recuperados, 544 casos activos, 95 óbitos, 108 cadeias de transmissão.

Estão internados 60 doentes, seis dos quais nos cuidados intensivos.

Há 55 pessoas em isolamento em unidades hoteleiras dedicadas.

Na área da saude, 31 casos continuam activos, 3 médicos, 8 enfermeiros, 3 assistentes operacionais, 6 assistentes técnicos, 3 operacionais da manutenção, 3 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica e 5, correspondentes a outras áreas de intervenção na saúde.

Na área social, há 45 casos activos nos lares para idosos e similares.

Nas escolas da RAM, há 109 casos activos, a maioria alunos.

A capacidade hospitalar situa-se hoje em dia, disse o secretário, nas 150 camas; há 15 camas de cuidados intensivos ocupadas.

Na RAM, o número de crianças a vacinar situa-se, nas 24.248, dos O aos 11 anos de idade. Dos 5 aos 11 são 14.715 crianças.

Neste momento está a ser calculada a distribuição concelhia, para afinar procedimentos.