Estepilha: a moeda de 2$50 que pagava tudo… até multas para quem não atravessasse na passadeira

Rui Marote
Quem, com idade suficiente para isso, não se recorda da moeda da caravela, 2$50, ligada aos descobrimentos, que foi cunhada em prata e mais tarde numa liga metálica.
Ficou famosa nos anos sessenta. Recordo assistir a multas neste valor, para que os peões circulassem nos locais próprios, ou seja, transitassem as estradas apenas nas passadeiras. Quem transgredisse, e atravessasse a rua noutro sítio, a policia passava logo a rifa, que tinha de ser paga de imediato.
As bordadeiras eram as vitimas frequentes. Vinham a passo de corrida, muito em cima da hora, para os locais de trabalho, e transgrediam com frequência essa norma de trânsito.
A rua da Carreira o passeio Norte era para quem  circulava no sentido S. João, e o do Sul, para quem se dirigia para a Avenida Zarco ou Praça do Município. Lá estava o guarda sempre à espera dos 2$50. A passadeira da ponte do mercado era um um autêntico mealheiro: os mais lesados eram as pessoas do campo que vinham ao Funchal.
Com 2$50, fazia-se uma festa. Hoje falando com uma antiga aluna da Apresentação de Maria comentava a mesma: o meu pai dava-me 5$00. Pagava o autocarro, pagava  lanche no Colégio, no regresso tomava uma BB, voltava a pagar o autocarro e sobrava dinheiro. Muitas histórias da moeda 2$50 estão por contar. Era dinheiro, nesse tempo…
O escudo faria este ano um século de vida “oficial”, se não tivesse sido substituído pela moeda única europeia. O seu percurso é bem anterior a essa data (já vindo do reinado de D. Duarte), mas a circulação regulada e devidamente prevista só aconteceu já em 1911.
A verdadeira origem do nome é desconhecida. Foi o primeiro valor de intercâmbio comercial estável da história lusitana, referem as fontes históricas. Tendo como símbolo o cifrão ($) esteve em circulação até 2002, ano da entrada definitiva do euro nos mercados dos países da que a ele aderiram.
A troca das moedas e notas pela respectiva quantia (€1=200$482) no numerário adoptado pelas nações da Zona Euro inicialmente composta por 11 Estados membros entre os quais Portugal, acabou por espoliar-nos. Até os dias de hoje fomos roubados de $482 que nunca nos foram devolvidos, uma vez que o arredondamento ficou nos 200 (escudos). Até 2022, segundo a directiva europeia, os bancos centrais de cada território são obrigados a trocar as notas e moedas utilizadas antes do euro durante 20 anos.
No próximo ano esse prazo termina.