Estepilha: este passadiço é para inaugurar com a maré vazia ou cheia??

Rui Marote
A Administração de Portos (APRAM) mandou construir um passadiço na rampa de São Lázaro anexado aos novos fingers que dão acesso ao mar, para servir de apoio aos desportos náuticos dos diversos clubes ali instalados.
Em boa hora a a APRAM mandou executar uma rampa de acesso para os portadores de deficiência que praticam vela e remo facilitando a entrada e saída das embarcações. Porém, a nova estrutura que ontem foi colocada tem um erro técnico que os projectistas não avaliaram (nem, como de costume, se aconselharam com os homens do mar).
Ontem à tarde o Funchal Noticias esteve no local e constatou que com a maré cheia o passadiço afunda-se e o acesso ao mar de alguém com cadeira de rodas “mergulha” sem possibilidades de movimentação. Um autêntico “submarino”.
Com a maré vazia fica inactivo, uma vez que a estrutura encalha na rampa de “doca seca”. O Estepilha, que tem sempre uma canção na ponta língua, recorda a propósito:
A maré está cheia/ o barco não anda/ Eu queria passar ,ai ai/ Para aquela banda
Enfim já são tantas as asneiras alertadas pelo FN no passado. No presente rege-se a orquestra pelo mesmo diapasão. Não se esqueçam que as obras de mar são mais caras do que em terra….