Carlos Costa acusa outros candidatos de “política rasteira”

Na iniciativa JPP de hoje, que decorreu em Machico, o candidato Carlos Costa afirmou que o partido tem feito uma campanha “pela positiva”, com a “aceitação das pessoas” para aquilo que são as propostas e ideias do partido para o concelho.

“Também verificamos algumas inquietações e algumas críticas, nomeadamente, à gestão autárquica do actual executivo. Mas, no meio disto tudo e, mau grado o balanço positivo que fazemos, têm existido alguns aspetos negativos”, referiu o candidato do JPP à Câmara de Machico.

Carlos Costa destacou o que denominou como “campanha pela negativa, a chamada politica rasteira que está a ser feita por outros candidatos”.

“Os exemplos são vários: quando apresentamos a nossa candidatura no Tribunal, a primeira coisa que se verificou foi a apresentação de um protesto, neste caso por parte do partido socialista, relativamente à constituição da nossa lista pois considerou que nós tínhamos, pasme-se, mulheres”.

“Depois, no decorrer da campanha, apareceram nas redes sociais perfis falsos, associando a minha pessoa, com o meu nome, a fazer críticas e injúrias relativamente a outros candidatos. E agora, mais recentemente, tivemos os nossos cartazes destruídos, quer na Água de Pena, quer no Caniçal”, queixou-se

Para o candidato, esta “política rasteira” só poderá significar que “a candidatura do JPP por Machico está a ser incómoda, nomeadamente, para os dois principais partidos, digamos assim, o PS e o PSD”.