Governo Regional reforça apoio aos taxistas regionais

O secretário regional da Economia anunciou, esta quarta-feira, um reforço do apoio aos taxistas da Região, através do programa de apoio excepcional, destinado à manutenção do Serviço Público de Transportes em táxi na RAM. Rui Barreto referiu que, no âmbito da primeira fase, já foram pagos mais de 400 mil euros, disse que para esta segunda fase, apresentada esta manhã, está reservado mais de meio milhão de euros.

Na oportunidade, Rui Barreto lembrou que os profissionais que concorreram à primeira fase do programa podem concorrer novamente a este apoio de 438,81 euros, da mesma forma que os táxis de letra “T”, que podem agora também se candidatar, recebendo também, neste caso, as ajudas referentes à primeira e segunda fase, perfazendo um total de 877,62 euros.

Além disso, o secretário regional da Economia lembrou também a aprovação, na semana passada, em Conselho de Governo, que “nas duas inspecções periódicas que os motoristas de táxi têm de fazer com as suas viaturas no Centro de Inspecções, e que são obrigatórias por lei, apenas pagarão uma das inspecções”.

Rui Barreto diz que estas medidas, além de outros incentivos e apoios que têm sido concedidos pelo Governo Regional, é “uma ajuda absolutamente merecida”, sobretudo face às dificuldades que resultaram da pandemia.

Todas estas ajudas, disse o governante, “em contacto com as associações, com a TáxisRAM, com a AITRAM, num contacto aberto e permanente, a acompanhar o sector e a sua evolução num período absolutamente difícil, em que as áreas do turismo, da restauração e dos transportes, onde se incluem os motoristas de táxi, sofreram imenso, sem qualquer facturação”.

O presidente da direcção da TáxisRAM, Paulo Pereira, agradeceu pelas medidas que vieram ajudar os profissionais de táxi durante este período, salientando, também, o ambiente de diálogo e da forma como “o Governo Regional, a Secretaria Regional Regional da Economia e, particularmente, o secretário regional da Economia têm acompanhado não apenas o sector dos táxis, como todos os outros” que têm sido afectados pela pandemia.