Um “NOVO” início

Todos nós, ao longo da nossa vida, estabelecemos metas e objetivos que acabam por se dissipar na correria do dia a dia ficando esquecidas. Quem nunca estipulou uma resolução de ano novo? Aquelas que acompanham as doze badaladas ou as doze passas e se ligam a juramentos que começam com “no próximo ano…” ou “o meu novo eu será…” . Com toda a certeza já todos nós pensamos “No próximo ano vou ser mais saudável, vou treinar mais, comer melhor”. Talvez alguns de nós tenham cumprido essas promessas, mas o mais certo é que a maior parte se tenha deixado ficar pelo sofá agarrado à nova série da Netflix, enquanto come todo o espólio de doces e salgados que estavam num armário secreto algures na cozinha.

Quando damos direções à alguém para chegar a determinado local descrevemos os pontos de referência do trajeto, já o primeiro dia do ano é um “marco temporal”1, tem a particularidade de marcar o tempo simbolizando um novo começo ou um recomeço.

Em 8 anos de estudo sobre as pesquisas feitas no Google, um conjunto de investigadores2 identificou que a palavra DIETA é pesquisada 80% mais no dia 1 de janeiro do que em qualquer outra altura do ano. Não obstante, a pesquisa pela mesma palavra atinge novos picos nos primeiros dias de todos os meses, após os feriados e é mais comum à segunda-feira do que em qualquer outro dia da semana. Acrescem ainda a estas datas, o início das estações e o início de um novo semestre para os alunos universitários. Obviamente os ginásios também acompanham esta tendência. O padrão detetado pelos mesmos investigadores é que estes mesmos dias são os mais procurados para iniciar uma atividade física que muitas vezes é uma inscrição num ginásio. A este efeito deram o nome de – UM NOVO INÍCIO.

Podemos estar a pensar que a escolha destes dias está apenas ligada ao facto de podermos adiar mais algum tempo a mudança de atitude, mas o que foi identificado é que existe algo nestes dias que influência a motivação das pessoas, uma motivação oferecida por um calendário em branco. Mas porquê? Existem duas respostas a esta pergunta: primeiro porque o recomeçar implica que aceitamos os erros que cometemos nas vezes que já tentamos e falhamos, e consequentemente avançamos sem a bagagem do passado; segundo porque estas datas removem-nos da automatização do dia a dia, elas abrandam o nosso pensamento e fazem-nos ponderar melhor e tomar melhores decisões com base na nossa experiência.

Mesmo no contexto empresarial são usados marcos temporais: um novo mês ou um novo trimestre, implicarão novos objectivos, uma nova procura por melhores resultados, na maior parte das vezes com a aceitação e necessidade de quebra com os resultados anteriores.

Sabendo que aqueles os novos inícios que têm mais significado pessoal serão provavelmente os que nos dão mais oportunidades de recuperar e mais alavancagem para um futuro melhor, vale a pena pensarmos: “Quantas vezes já me propus a este novo início?, O que me levou a desistir? Que ajuda posso obter? Como vou finalmente atingir este objetivo?”


Notas:

1 SHUM, 1998,

2 Dai, Milkman e Riis