Rui Abreu e Tyler dos Santos-Tam salientam laços entre o Havai e a Madeira

O director regional das Comunidades e Cooperação Externa, Rui Abreu, recebeu hoje o Cônsul Honorário de Portugal em Honolulu, no Havai, Tyler Dos Santos-Tam, também líder do Partido Democrata no Estado Norte-Americano do Havai, e possível candidato a governador naquele Estado em 2023.

Durante a reunião foi abordado o tema da proximidade entre a Região e o Estado Norte-Americano do Havai. “Os laços entre o Havai e a Madeira começaram no século XIX, mais precisamente em 1878, quando os primeiros emigrantes madeirenses chegaram àquelas ilhas para trabalhar nos engenhos de açúcar”, recordou na oportunidade Rui Abreu.

Nas três décadas seguintes chegaram milhares de portugueses, sendo que metade eram oriundos da Madeira. De salientar que na época os madeirenses integraram-se perfeitamente na sociedade havaiana. “Talvez por partilharem o facto de serem ilhéus e também porque os madeirenses são extremamente trabalhadores”, frisou o governante

Actualmente, os descendentes de madeirenses estão inseridos nos vários sectores da sociedade, nomeadamente empresarial, na política, na educação.

Apesar da distância física, há muitos pontos em comum entre as regiões. “Os emigrantes madeirenses levaram consigo a sua cultura e tradições, e muitas tornaram-se parte integrante da cultura do Havai”, referiu na oportunidade Tyler dos Santos-Tam.

Rui Abreu, por seu turno, acrescentou que “a presença madeirense sente-se no Havai, nos nomes das ruas, na gastronomia, na cultura, na música.”

A título de exemplo o ukulele é um instrumento musical tradicional no Havai inspirado na braguinha madeirense. Naquele território, passados tantos anos, em que as pessoas já nem falam português, continuam a fazer malassadas, a fazer o pão em fornos de lenha.

“Isto significa que a cultura e as tradições madeirenses persistem no tempo e foram assimiladas nestas ilhas do Pacífico”, concluiu o governante madeirense.