Dírio Ramos diz que viver no Caniço e trabalhar no Funchal é um “inferno”

A CDU organizou nesta quinta-feira, 8 de Julho, no centro da cidade do Caniço, uma iniciativa da candidatura à Câmara de Santa Cruz nas próximas autárquicas, na qual Dírio Ramos, o candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal de Santa Cruz, abordou o “problema infernal” vivido por quem reside no Caniço e trabalha no Funchal. Dírio apresentou ainda propostas concretas de solução para àquela realidade do desenvolvimento humano e social.

“Nesta freguesia/cidade vivem fundamentalmente pessoas dos grupos intermédios da sociedade, a chamada “classe média”, em que, a grande maioria, trabalha no Funchal e tem os filhos a estudar no Funchal”, referiu, na oportunidade.

Ora, segundo Dírio Ramos, “residir no Caniço e trabalhar no Funchal torna-se num inferno. Entre sair de casa de manhã, pôr os filhos à escola e regresso a casa depois do trabalho e de recolher os filhos da escola vão quase 3 horas/dia nesta tarefa. São os problemas diários de engarrafamentos, de saturação no trânsito para se deslocar para o Funchal. São problemas concretos e diários que fazem diminuir a qualidade de vida e de conforto de quem habita no Caniço e em áreas circunvizinhas”, referiu.

“Lamentavelmente, a Câmara de Santa Cruz nunca foi capaz de tomar medidas concretas para resolver os problemas de mobilidade urbana e interurbana”, sentenciou.

“Esta cidade do Caniço administrada pelo JPP, com maioria política total desde 2013, vive sem um projecto de cidade, de emprego e funções sociais de Estado. É uma cidade sem elevada qualidade de vida. Ao JPP só interessa receber o IMI das habitações, de valor semelhante às habitações mais caras no Funchal. O JPP só sobrevive com taxas e taxinhas para o tacho do grupo do JPP”, acusou Dírio.

A CDU denuncia , pois, o JPP de falta de projecto para esta “cidade-dormitório”.

Para a CDU são possíveis medidas de natureza estratégica, de planeamento urbano, com estudos de mobilidade, visando alternativas de maior fluidez no trânsito e a criação de atractivas redes sustentáveis de transporte público de passageiros. E estas são, em primeiro lugar, competências e responsabilidades das autarquias para que às populações seja garantida melhor qualidade de vida. No entanto, o JPP à frente da Câmara Municipal de Santa Cruz não tem sido capaz, nem competente, para atender a estas suas obrigações básicas.

As populações podem contar com a CDU como parte da solução. “Não basta denunciar, não basta ser o “grilo falante”, a CDU precisa de uma representação autárquica forte no concelho de Santa Cruz para melhor defender e resolver estes e outros problemas da população”, disse Dírio.