CDU diz que quem comanda a CMF são os interesses do capital

A candidatura da CDU pelo concelho do Funchal promoveu esta sexta-feira uma iniciativa política junto ao Largo do Pelourinho sobre a “especulação imobiliária que domina a cidade”.

O candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal do Funchal, Edgar Silva, afirmou que “no Funchal, não só no tempo do PSD, mas com o PS na governação do Município, crescem os processos de especulação imobiliária. Uma das consequências mais directas destes processos tem sido o pontapear o povo para fora da cidade, para as margens, para as ultraperiferias”. De acordo com Edgar Silva “antes de mais, o que está em causa é a expropriação do povo no seu direito à cidade. O que está em curso é também uma dinâmica de segregação social, em que o centro da cidade é entregue às mãos do capital (do capital de confiança do poder instalado), excluindo o povo dos seus lugares de pertença”, referiu.

Para o responsável político, é exemplo disto “a actual ocupação do Largo do Pelourinho”, e representa o que acontece “quando o capital comanda a cidade”.

“O que acontece no Largo do Pelourinho, com o processo de especulação imobiliária já lançado, não é um caso isolado no Funchal. Este é um entre muitos outros casos que demonstram, descaradamente, como o capital domina a cidade. O Largo do Pelourinho, não só na forma como é ocupada a via pública, no modo como o centro histórico está a ser desventrado, na ostentação do que é a ocupação da cidade pelos grandes grupos económicos, em todo o processo, fica claro como campeia o capital na organização da cidade”, denuncia a CDU.

“Quem comanda a CMF são os interesses do capital, que é quem mais ordena nesta desfigurada cidade”, lamentam os comunistas.