Cláudia Monteiro de Aguiar defende apoios aos jovens pescadores

A Comissão das Pescas, no Parlamento Europeu, aprovou esta semana o relatório de iniciativa “Futuros pescadores: atrair uma nova geração de trabalhadores para o sector das pescas e criar emprego nas comunidades costeiras”, no qual os eurodeputados instam a Comissão Europeia ao desenvolvimento de políticas e estratégias de renovação geracional do sector das pescas.

Entre as reivindicações da eurodeputada madeirense Cláudia Monteiro de Aguiar, submetidas no relatório e integralmente aprovadas, reforça-se a necessidade “do investimento na formação e remuneração dos pescadores jovens, sem nunca cair na tentação de marginalizar os mais velhos, que contam com uma experiência de valor incalculável”.

A eurodeputada do PSD sublinhou as especificidades da pesca de pequena escala nacional, sem deixar de particularizar a praticada nas Regiões Ultraperiféricas que, “pela sua localização, ocupam uma posição primordial na monitorização e combate à pesca ilegal”.

“O sector em Portugal tem fragilidades conhecidas, nomeadamente ao nível do envelhecimento da sua frota, com repercussões graves em termos da segurança, e ao nível das suas infraestruturas portuárias. Sem embarcações seguras, sustentáveis e remuneração adequada o sector não consegue atrair os jovens”, sublinhou a eurodeputada.

Na preparação das alterações, Cláudia Monteiro de Aguiar deparou-se com a “falta de dados relativos ao sector das pescas, razão pela qual apelou à Comissão Europeia no sentido de o Eurostat recolher dados fidedignos e actualizados sobre a economia azul, nomeadamente números que espelhem a evolução do emprego, da remuneração média dos pescadores e participação por género e faixa etária. A papel das mulheres neste sector é determinante, deve ser estimulado, mas precisamos de números que nos revelem o seu real peso”.

O relatório foi aprovado por unanimidade com 28 votos a favor.