CDS lamentou ontem “Semana negra para a economia da Região”

O CDS estendeu ontem, pela voz do líder parlamentar, Lopes da Fonseca, um rol de lamentações numa conferência de imprensa, rol esse que começou com a constatação de que “esta semana foi muito negativa para a economia regional”.

“Ontem tivemos a infeliz notícia que o Reino Unido retirou Portugal da lista verde”, disse Lopes da Fonseca, repetindo o óbvio.

“A Madeira vai ser prejudicada por uma certa inércia e até algum desleixo por parte da diplomacia portuguesa nesta matéria, pois esta decisão vai afectar tremendamente o turismo da Região quando é do conhecimento de todos que a Madeira tem números que são verdadeiramente um exemplo, não havendo uma preocupação por parte do Ministério dos Negócios Estrangeiros em salvaguardar as duas Regiões Autónomas”, declarou.

Por outro lado, deu seguimento a uma ladainha que tem sido insistentemente repetida por certos partidos, o facto de os nossos pescadores, sobretudo da espada-preta, terem recebido a notícia por parte do Ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, que não irá haver apoios para a renovação da frota pesqueira do peixe espada-preto.

“Com esta decisão, o Senhor Ministro revelou que não tem capacidade de negociação junto da União Europeia”, sentencia Lopes da Fonseca.

“Para que serve afinal a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, se os Ministros não têm capacidade nenhuma de negociação! Referimo-nos, em particular, ao Ministro da Agricultura, ao Ministro do Mar, ao Ministro dos Negócios Estrangeiros. Há, claramente, uma inacção total para não dizer uma incompetência”, insurgem-se os centristas.

Finalmente, o CDS disse ao PS que, se quer mostrar-se autonomista, tem a oportunidade de intereceder junto Primeiro-Ministro António Costa, na Madeira este fim de semana.  A não renovação da frota pesqueira “implica não renovar 20 espadeiros, implica prejudicar cerca de 200 pescadores e as suas famílias e implica insistir que os pescadores disponibilizem 7 milhões de euros para essa renovação”.

“Os pescadores não têm esta quantia para a renovação da frota pesqueira! Estavam à espera dos fundos de apoio do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquacultura (FEAMPA), e o Senhor Ministro limitou-se a dizer que não era possível”, surpreendeu-se Lopes da Fonseca.