Lista à UMa quer que estudantes estejam melhor representados

Uma lista candidata a representar os estudantes no conselho geral da Universidade da Madeira diz querer alterar os estatutos da Universidade, de forma a equilibrar o peso da representação dos estudantes no conselho geral daquela instituição em relação ao actual peso dos representantes dos professores.

Nos dias de hoje os representantes dos professores representam 52% da totalidade dos membros do conselho geral, enquanto os representantes dos estudantes representam apenas 14% desse órgão. Isto, de acordo com Vasco Marcial, proponente desta lista, é responsável por um afastamento da gestão da Universidade do seu foco que deve ser os estudantes e a qualidade do serviço prestado aos estudantes na sua formação e educação, refere uma nota de imprensa.

Vasco Marcial lembra que “os estudantes são os clientes da Universidade e que por isso o foco da instituição tem que ser o sucesso dos seus estudantes.”

Continua afirmando que “para garantir que quem gere a universidade nunca se afaste desse rumo é crucial que os alunos tenham maior peso na representação no órgão deliberativo da Universidade.”

É nesse sentido que esta lista propõe que exista um aumento de 3 para 7 no número de representantes dos estudantes no conselho geral de forma a que o peso dos estudantes neste órgão passe para 28%.

A lista, que além de Vasco Marcial tem como candidatos efectivos Beto Jardim e Eusébio Caioqui e como suplente Madalena dos Santos, defende ainda que se promova a criação de uma empresa júnior na universidade, que se diligencie com o Governo Regional a possibilidade de resolver o problema da falta de salas de estudo da Universidade através da concessão de espaços no Madeira Tecnopólo que permitiria também aproximar a academia do mundo empresarial, entre outras soluções para os principais problemas da Universidade identificados pelos estudantes.