Lancha Ecomar continua no Caniçal ao sol e à chuva

Rui Marote
Esta lancha foi dquirida pela APRAM há 14 anos por 127.000 euros, com recurso aos fundos comunitários, no âmbito do Fundo de Coesão. Chegou à Madeira a bordo do porta contentores Port Douro, a 23 de de Novembro de 2007. Destinava-se à recolha de armazenamento de detritos flutuantes, com separação e retenção de hidrocarbonetos.
Construída em França pela empresa Ecoceane  SA, a Ecomar é um catamarã do tipo Cataglop, em alumínio, com casco duplo, e mede 6,40 metros de comprimento, 2,60 metros de boca e 0,70 metros de calado. Apresenta o casco azul marinho e a linha de água vermelha.
O facto do sistema de aspiração a superficie da água, gerado por turbina, estar montado no centro da embarcação, permite recolher detritos sólidos e separá-los por gravidade, depositando-os num espaço próprio existente a bordo.
A Ecomar, com 2,2 TAB e registo Fn-156-AL, da Capitania do Porto do Funchal, possui um motor com 40 HP, que lhe permite atingir 3 nós de velocidade e tem capacidade para armazenar cerca de 800 kg de resíduos e 1200 quilos  de hidrocarbonetos.
Porém, esta embarcação encontra-se há anos em cima do pontão do porto do Caniçal sem qualquer actividade.
Este ano o Porto do Funchal foi “castigado” por duas ou três vezes na marina, lota e rampa do Lobo Marinho com os detritos que a Ribeira de São João, em dias de grandes chuvadas, arrastou até ao mar.
Esta embarcação continuou contudo em “exposição” no Caniçal, enquanto no Funchal um pequeno bote de borracha efectuava com dificuldade a recolha desses materiais. Lá diz o ditado “em casa de ferreiro, espeto de pau”…