ALRAM auscultou coordenador da Unidade de Psicologia do SESARAM

A Comissão Especializada Permanente de Saúde e Assuntos Sociais ouviu hoje o Coordenador da Unidade de Psicologia do SESARAM, Carlos Renato Nunes Mendonça, sobre as “respostas públicas no âmbito da saúde psicológica dos utentes do Serviço Regional de Saúde”, na sequência de um requerimento apresentado pelo PSD.

O psicólogo considerou que o investimento do governo regional “na saúde mental e na área da psicologia clínica é muito superior à resposta que é dada em Portugal continental”.

O SESARAM, Serviço de Saúde da Madeira, tem duas linhas de apoio psicológico (Unidade de Psicologia e IA-Saúde) que atendem, em média, 22 pessoas por mês.

Em época pandémica “a consulta telefónica foi bastante procurada”, por famílias e cidadãos. Carlos Mendonça baseou-se nos estudos para alertar para o surgimento de novos casos de depressão, ansiedade e consumo de substâncias, depois desta crise que teve impacto emocional grave em muitas pessoas. “As intervenções psicológicas, na região, duram em média cinco dias seguidos, mas esta crise da Covid-19 veio trazer uma realidade diferente da que estávamos habituados”, reforçou.

Referiu ainda que a pandemia teve um grande impacto nos estudantes (crianças e adolescentes), que se viram privados da prática do desporto, das aulas presenciais e até dos próprios convívios, como as viagens de finalistas.