USAM preocupada com o desemprego na Região

A União dos Sindicatos da Madeira (USAM) manifestou ontem a sua preocupação agora que já são conhecidos os dados relativos ao desemprego na Madeira no final do mês de Janeiro.

São 20 349 trabalhadores que engrossam as filas do desemprego, mais 30% se comparado com igual mês do ano 2020. Só no mês de Janeiro inscreveram-se 1136 trabalhadores no Instituto de Emprego da Madeira. Um aumento de 1,2% face a Dezembro de 2020, constata a USAM.

Esta situação faz com que a RAM seja a terceira região do país com maior número de trabalhadores desempregados, depois da região do Algarve e Lisboa/Vale do Tejo.

São números assustadores, é certo, mas apenas reflectem os dados oficiais, porque a USAM tem denunciado que os números serão bem superiores. Estimamos que o número efectivo de desempregados esteja acima dos 25000, afirmam.

“Temos a perfeita noção do impacto da pandemia nesta situação, contudo, a culpa não é apenas da Covid-19. A política da monocultura do turismo, onde praticamente tem sido assente o nosso desenvolvimento, a par do sector da construção (que tem se mantido), revela a desastrosa opção que os sucessivos governos da região têm seguido em matéria de gestão económica”, considera a União dos Sindicatos, que manifesta total solidariedade para com os trabalhadores e suas famílias.