“Chega” diz que Governo Regional está ao serviço dos “amigos do regime”

O partido “Chega” da Madeira considerou hoje em comunicado de imprensa que o Governo Regional da Madeira “veio provar, mais uma vez, que está ao serviço dos grandes grupos e dos “amigos” do regime em detrimento da população  da Região”. A posição foi tomada sobre o pretexto do período de isolamento profiláctico da tripulação do Lobo Marinho, determinado pela autoridade de saúde, justificando-se tal para o navio apenas retomar a sua actividade a 1 de Março.

“Se a preocupação é realmente garantir o bem estar e saúde pública, questionamos a razão pela qual os testes à COVID-19 não foram realizados aquando da manutenção anual obrigatória do navio para que, quando concluída, voltasse à plenitude das suas funções? E ainda, o motivo pelo qual não foram criadas “equipas espelho” para que fossem mantidas as condições de mobilidade e de alimentação que a população portosantense merece, com a devida segurança?”, questiona o partido.

“A decisão do Governo Regional em isolar ainda mais a população do Porto Santo é uma “traição” que vai contra os interesses da RAM e visa somente proteger os interesses do armador responsável pela ligação Madeira- Porto Santo”, acusa o “Chega”. O actual governo regional “tem uma relação privilegiada com o armador responsável por esta ligação e mais uma vez toma uma decisão para salvaguardar os interesses económicos deste grupo já altamente beneficiado. O Chega será sempre um defensor da população, daqueles que trabalham e reivindicam os seus direitos”, assegura o comunicado, que pede “transparência na governação, não um governo de “amigos”.