Albuquerque diz que recolher obrigatório se justifica mas medidas serão semanalmente reavaliadas

foto arquivo

O presidente do Governo Regional disse hoje, à margem de mais uma visita a uma exploração agrícola, desta vez em Santa Cruz, que as medidas restritivas à circulação por causa da pandemia de Covid-19 na RAM serão revistas semanalmente. “Consoante a evolução pandémica”, às quintas-feiras, as medidas serão “mantidas ou aliviadas” consoante o número de casos existentes da doença causada pelo novo coronavírus.

Miguel Albuquerque diz que “compreende a questão do desporto depois do recolher… a questão de algumas modalidades desportivas, a questão do take-away ao fim-de-semana”, mas quer dizer a todos os madeirenses que “a prioridade neste momento é conter a pandemia”. Para já, não será nada alterado.

“Não se esqueçam do seguinte: parece que está tudo controlado, mas vejam o que se está a passar em Itália, onde já se verifica um aumento de casos”, referiu. “Nós temos a nossa economia a funcionar neste momento. Não há nenhum confinamento na Madeira”, declarou. O recolher, entende, é um sacrifício justificável para o tal funcionamento da economia que refere. “Era mais fácil fechar tudo, como fizeram no continente”, disse.

As medidas são para manter até à Páscoa, como já foi dito, mas serão semanalmente avaliadas. Para a semana, regressa já a hora anterior de recolher obrigatório: 19 horas.

Albuquerque considerou a exploração agrícola visitada “exemplar em todos os sentidos”. Com meio hectare, produz mais de 15 toneladas de banana por ano. A produção, através das técnicas que são utilizadas, faz com que a produção seja constante ao longo de todo o ano. “A evolução da nossa agricultura tem sido exponencial nos últimos anos, em termos técnicos”, referiu o governante.