Estudo aponta grandes disparidades na RAM, na facilidade em comprar casa

Um estudo da plataforma “ComparaJá.pt” revela alguns dados interessantes, como grandes disparidades entre os municípios madeirenses na facilidade em comprar casa.

Apesar da pandemia, o sestor imobiliário e o mercado do crédito à habitação continuam dinâmicos, acompanhando o objectivo de aquisição de casa própria de muitos portugueses, refere o estudo.

Com o intuito de alertar as famílias madeirenses para a necessidade de atentar na taxa de esforço, a plataforma ComparaJá.pt procurou analisar os custos de comprar um imóvel com recurso a financiamento nos diferentes municípios da região.

Tendo por base os rendimentos e preço por m2 médios, bem como a TAEG média nos empréstimo à habitação verificados no distrito, este portal gratuito de comparação de produtos bancários e pacotes de telecomunicações procurou calcular o valor máximo de crédito habitação acessível a cada família, isto tendo em conta o prazo máximo de 40 anos que é permitido para o seu reembolso, o que permite perceber “quanta” casa (número máximo de m²) é que os madeirenses poderão ambicionar comprar.

“Através deste estudo é possível ter-se uma percepção clara da necessidade de se fazer uma análise criteriosa à capacidade financeira na hora de se solicitar um empréstimo para comprar casa, particularmente a taxa de esforço”, sublinha José Figueiredo, director-geral do ComparaJá.pt.

Este responsável explica que “a taxa de esforço corresponde à percentagem do rendimento das famílias que é destinada a pagar as prestações dos créditos, sendo que não deverá ser superior a um terço do rendimento total do agregado familiar. Ou seja, se um casal ganha, em conjunto, 1.500 euros líquidos por mês, então o valor mensal dos créditos não deverá ser superior a 500 euros”.

Na análise do ComparaJá.pt foi também considerado um aspecto por vezes negligenciado pelos consumidores no momento de comprar casa: a poupança prévia necessária para fazer face ao valor da entrada inicial, montante que geralmente corresponde entre 10% a 20% do valor de aquisição do imóvel.

No Funchal, as famílias não conseguem comprar uma casa com mais de 76 m2.

Conforme os dados da tabela abaixo, na ilha do Porto Santo as famílias têm capacidade financeira para comprar um imóvel com 139 m2. Por contraste, no Funchal os agregados familiares locais apenas conseguem adquirir uma habitação com 76 m2.

Por sua vez, no concelho da Ponta do Sol as famílias também não poderão ambicionar a aquisição de uma habitação com mais de 84 m2, um cenário que reflecte a disparidade entre o preço das casas e os rendimentos dos munícipes.

 

Dimensão máxima do imóvel que as famílias de cada município da Madeira conseguem comprar
– Crédito a 40 anos + 3 anos de poupança para entrada inicial –
Município Valor máximo de Financiamento
(LTV de 90%)
Entrada Inicial
(10%)
Valor de Aquisição do imóvel Dimensão do imóvel (m2)
Porto Santo 169.670€ 18.852€ 188.522€ 139
Santana 129.498€ 14.389€ 143.886€ 138
São Vicente 132.693€ 14.744€ 147.437€ 133
Machico 147.104€ 16.345€ 163.448€ 129
Calheta 150.019€ 16.669€ 166.688€ 124
Santa Cruz 150.089€ 16.677€ 166.766€ 113
Porto Moniz 121.393€ 13.488€ 134.882€ 106
Ribeira Brava 122.907€ 13.656€ 136.564€ 103
Câmara de Lobos 135.690€ 15.077€ 150.767€ 100
Ponta do Sol 118.626€ 13.181€ 131.806€ 84
Funchal 154.827€ 17.203€ 172.030€ 76

 

Para além de poderem aceder a simulação gratuita com todos os bancos em Portugal de acordo com o seu perfil, os utilizadores do ComparaJá.pt podem ainda beneficiar de apoio personalizado – sempre sem qualquer custo ou compromisso – por parte da sua equipa especializada no sentido de se obter as melhores propostas já aprovadas pelas diversas instituições, refere a plataforma.

Para acederem a uma simulação personalizada, os utilizadores têm apenas de completar um conjunto de passos que permitem gerar uma tabela comparativa com as condições dos vários bancos. De seguida, receberão acompanhamento especializado por parte da equipa do ComparaJá.pt no sentido de obterem propostas finais vinculativas (já com base na análise de risco feita pelo banco para aprovação do crédito), as quais são enviadas por email com todos os detalhes e documentos, em particular as FINE.

Critérios de análise:

  • Crédito à Habitação: Foi tido em conta um valor de financiamento (Loan-to-Value) de 90% do valor de aquisição e a TAEG média aplicável ao conjunto dos municípios do distrito, conforme os dados dos utilizadores do ComparaJá.pt dessa região ao longo de 2020. Os valores são meramente indicativos, devendo os consumidores simular condições ajustadas ao seu caso específico de acordo com o seu perfil e necessidades.
  • Taxa de Esforço: Corresponde a 33% dos rendimentos de um casal que aufira os valores médios de cada município. Este valor determina a prestação máxima mensal que cada família poderá suportar no que respeita ao crédito habitação.
  • Salário Médio: Os dados relativos ao valor do salário médio bruto foram retirados da PORDATA (“Ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem” – 2016). Para a obtenção do salário líquido a valores atuais foi utilizada a calculadora da consultora PwC, tendo sido posteriormente acrescida a estes valores a taxa de evolução média do salário líquido em Portugal de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística para o período entre 2016 e 2020.
  • Preço do m² por município: No que respeita ao preço do m² em cada um dos municípios teve-se em conta uma média ponderada dos dados dos principais portais imobiliários online – Casa SAPO, Idealista e Imovirtual – relativos aos últimos 12 meses para imóveis de tipologia T2 e T3 (Novos, Remodelados e Usados em bom estado de conservação) publicados quer por particulares quer por profissionais.

 

Dados médios aplicáveis à Região Autónoma da Madeira utilizados para os cálculos do ComparaJá.pt
Concelho Preço m2 Rendimento Líquido
Mensal
Taxa de Esforço
Casal (33%)
TAEG média no Crédito Habitação no distrito
Calheta 1.349€ 702€ 463€ 2,08%
Câmara de Lobos 1.514€ 635€ 419€
Funchal 2.266€ 725€ 478€
Machico 1.269€ 689€ 454€
Ponta do Sol 1.573€ 555€ 366€
Porto Moniz 1.269€ 568€ 375€
Porto Santo 1.354€ 794€ 524€
Ribeira Brava 1.324€ 575€ 380€
Santa Cruz 1.482€ 703€ 464€
Santana 1.046€ 606€ 400€
São Vicente 1.112€ 621€ 410€