BE considerou que asfaltar a estrada das Ginjas é “um crime”

O Bloco de Esquerda esteve ontem nos Estanquinhos, assinalando que, da sua perspectiva, asfaltar a estrada das Ginjas é um crime. Segundo o dirigente Paulino Ascensão, trata-se de um crime contra o ambiente “porque vai esventrar a Laurissilva, o mais significativo activo ambiental e económico que a Madeira tem. A Laurissilva é um património natural único no mundo, deve ser preservado a todo o custo e qualquer intervenção será prejudicial”.

Por outro lado, o Bloco considera que asfaltar esta estrada representa apenas esbanjar milhões do orçamento da agricultura, “para nada, por capricho, para fazer um frete a alguém, quando esses milhões fazem falta na agricultura para criar e melhorar os acessos a terrenos com aptidão agrícola mas que estão abandonados pela dificuldade em lá chegar. Com estes milhões poria fazer-se muitos quilómetros de novos acessos, para permitir a muitas famílias obterem da terra um complemento ao seu rendimento”.

Por outro lado, a decisão, da perspectiva bloquista, reveste-se de um carácter criminoso também porque “em plena crise sem paralelo, o Governo Regional esbanja milhões para satisfazer interesses obscuros, ilegítimos, para satisfazer a avidez do lobi do betão, quando há tanta gente sem emprego. Estes milhões poderiam ser usados para envolver muito mais pessoas em actividades mais úteis, como por exemplo no combate às plantas infestantes, na reflorestação das serras, na protecção da Laurissilva”.