Porto Santo também quer apostar nos “nómadas digitais”

De acordo com uma nota da Câmara Municipal do Porto Santo, a mesma participou hoje num webinar promovido pela Associação de Promoção da Madeira, com os oradores Carlos Soares Lopes, CEO da Startup Madeira, e Gonçalo Hall, apresentado como “consultor e nómada digital”, abordando temas como: O que é o nomadismo digital; o perfil de consumidor; Digital Nomads Madeira – O projecto, objectivos e resultados; parcerias com o projecto; oportunidades e desafios na Madeira; potenciais negócios dentro deste mercado.
O executivo da edilidade porto-santense diz-se em contacto com um grupo de Nómadas Digitais naquela ilha, para encontrar condições para os fixar naquele destino, que já conta presentemente com um grupo de rede com cerca de 30 pessoas e tende a crescer.
“Estamos a auxiliar na criação de uma rede de contactos e assim encontrar parceiros e condições atractivas para trabalharem remotamente, de forma a atrair este tipo de digital workers” , refere a Câmara, que conta com a adaptação para cativar este mercado e desenvolver projetos para este público, tentando captar este “novo turista”, que permanece durante longos períodos de tempo e fortalece a economia local.
“Podemos afirmar com orgulho, que o Porto Santo se enquadra nas novas escolhas de destinos, na retoma do sector turístico, em segurança, neste momento particular, pretendido como uma ilha de baixo impacto e pequena escala, uma excelente alternativa ao turismo padrão de massa comercial, proporcionando de vastas áreas naturais, perfeitas para refrescar a saúde mental e física, exactamente o que a maioria das pessoas precisa neste momento”, defende a CMPS.
“Esta é a nossa aposta e cientes dos últimos galardões, (Porto Santo, European Safest beach 2021) estamos a desenvolver contactos no sentido de divulgar esta mais valia, no momento que atravessamos de dificuldades em todo o mundo e especialmente neste setor que afecta directamente a nossa economia”, refere-se ainda.