UMa e SESARAM realizam estudo sobre a infecção por dengue

Uma nota da Universidade da Madeira dá conta de que esta instituição de ensino superior, m colaboração com o SESARAM, está a desenvolver um estudo sobre o surto de dengue ocorrido na Madeira entre 2012 e 2013.

O estudo em causa, intitulado “Surto de dengue na Madeira: ferramenta para pesquisar fatores do hospedeiro envolvidos na infeção assintomática”, é financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e pretende contribuir para melhorar a compreensão dos mecanismos da infecção por dengue, em particular aqueles que conferem protecção contra a infecção clínica e os que são responsáveis pelo seu grau de severidade.

Este estudo agrega especialistas de áreas distintas como Imunologia, Bioquímica, Genética, Medicina Interna, e Infecciologia e Analises Clínicas, e pretende comparar factores imunológicos, bioquímicos e genéticos em indivíduos assintomáticos e sintomáticos.

Aquando do primeiro contacto com o vírus da dengue, uma elevada proporção (50-98%) de pessoas não apresenta qualquer sintoma (infecções assintomáticas) mas desenvolve anticorpos contra a infecção. Estas infecções assintomáticas são importantes para entender a dimensão real das epidemias de dengue numa população, assim como o risco de desenvolvimento de dengue severa, a que ambos sintomáticos e assintomáticos estão sujeitos no caso de uma infeção posterior, por um serotipo diferente.

Para este estudo é fundamental a participação de pessoas que, em 2012-2013, foram diagnosticadas com dengue pelos Serviços de Saúde, assim como aquelas que, embora não tivessem desenvolvido sintomas, habitavam ou trabalhavam nas áreas onde ocorreu uma transmissão muito elevada do vírus, informa a UMa.

A participação neste estudo é voluntária e de extrema importância, pois só com a participação de todos será possível conhecer melhor este tipo de infecção, refere a Universidade.