Câmara de Lobos enaltece aprovação de apoio ao tecido empresarial

A Câmara Municipal de Câmara de Lobos destacou hoje em comunicado a aprovação por unanimidade de um apoio de 800 mil euros ao tecido empresarial do concelho. A medida, proposta pelo presidente da Câmara, Pedro Coelho, recebeu votos favoráveis de toda a vereação afecta ao PSD, CDS e vereador independente. O regulamento e formulário de candidatura estarão disponíveis na próxima segunda-feira na página oficial da autarquia.

Após a aprovação por unanimidade da medida extraordinária de apoio ao tecido empresarial do concelho, a autarquia de Câmara de Lobos irá disponibilizar, já na próxima segunda-feira, o regulamento e formulário de candidatura no seu site oficial.

A unanimidade, diz um comunicado da Câmara, reforça a pertinência desta medida proposta pelo presidente do município, pela sua abrangência, que permite o acesso a mais de meio milhar de empresários e profissionais liberais mesmo que não possuam contabilidade organizada.

Este ponto diferencia a proposta do autarca das respostas existentes a nível nacional e regional permitindo o acesso a um leque mais abrangente de pequenos empresários e profissionais liberais que pela sua facturação inferior a 200 mil euros anuais não possuem contabilidade organizada.

Os apoios, consistem numa prestação única que vai dos 500 aos 1500 euros que serão atribuídos com a maior celeridade possível, garante-se.

“Estamos a falar de mais de meio milhar de pequenas empresas e profissionais liberais, que viram os seus rendimentos afetados pela pandemia em curso. Taxistas, pequenas mercearias, salões de cabeleireiro, artistas, entre outros, cuja actividade garante o sustento de muitas famílias e que muito deram e dão ao nosso concelho. É uma pequena ajuda, um investimento directo dos munícipes de Câmara de Lobos na economia local”, diz Pedro Coelho.

O presidente não deixou de lamentar a partidarização deste assunto, depois de conhecidas as declarações do vereador do CDS Amílcar Figueira aos meios de comunicação social. “Em abono da verdade o CDS nunca apresentou uma proposta válida e coerente de apoio à economia local”, acusa.

O autarca afirma que “o vereador do CDS, diga-se em abono da verdade, não eleito directamente, deve usar a sua influência e “urgência” junto do “seu” secretário regional da Economia, por sinal do seu partido, para que o apoio prometido às empresas, também de Câmara de Lobos, chegue até ao dia 15 de Fevereiro.”