Estepilha: Frelimo afinal “gosta de europeu”…

Rui Marote
Estepilha. Como a história dá voltas e voltas. Há 46 anos, em Novembro de 1974, ao chegar ao meu apartamento no centro da ex-Lourenço Marques, hoje Maputo, escutava a minha “mainata” (empregada) passando a ferro e entoando cânticos que jamais esquecerei: “Frelimo não quer europeu!!! Frelimo não quer europeu!!!” Hoje a letra é outra: “Frelimo quer Europeu”…!?
Em Moçambique, o ministro  da Defesa, João Cravinho, ouviu do seu homólogo moçambicano um pedido de apoio da UE contra o Estado Islâmico, para combate ao terrorismo em Cabo Delgado. As coisas que ali se têm passado não têm nenhuma graça. A única graça está na forma como as coisas mudam.
O ministro Cravinho já tem uma lista dos convocados para esta importante missão: coronel Ramiro Morna, Nuno Homem Costa, Gil Nunes e outros altos combatentes com experiência nestes actos de guerrilha. Só se estranha não se terem lembrado do autor do Estepilha, que conhece bem a área, tendo estado incorporado naquela província fazendo parte do contingente indígena. Resta saber quem leva o estandarte da Região.
Só resta cantar e relembrar a musica de 1955 de João Maria Tudela: como o negro diz Kanimambo!!!

Obrigado, Muchas Gracias,
Merci Bien, Tudo é Kanimambo.
Danke schone, Grazie Tante,
Many Thanks, tudo é Kanimambo…