Pancadaria ao pé do Anadia Shopping evidencia domínio do centro do Funchal por indivíduos sem ocupação

Um vídeo de uma pancadaria entre dois indivíduos na Rua do Ribeirinho, no coração da cidade, com cenas degradantes, está a ser repassado em diferentes redes sociais, já tendo também chegado aos órgãos de comunicação social. O problema de sem-abrigo, toxicodependentes e outros indivíduos sem ocupação nas ruas do centro da cidade tem vindo a agravar-se, e não parece haver solução à vista por parte dos órgãos competentes, nem fiscalização apeada constante por parte da Polícia.

O que se pode verificar é que estas duas pessoas travaram-se de razões e partiram para a violência física, sendo que o facto de uma delas sofrer de deficiência física e deslocar-se de muletas não dissuadiu a “concorrência”.

A contemplar a cena, muitos, a intervir para a finalizar, aparentemente, poucos. Elementos do sexo feminino foram quem mais se esforçou por pôr fim à contenda. Enfim, cenas que nada dignificam o Funchal e a sua segurança, mas que são hoje em dia uma realidade até frequente, em zonas que já foram nobres. Entre o Campo da Barca, onde os sem-abrigo têm os seus cacifos dados pela Câmara do Funchal, passando pela Rua João de Deus e pela Rua do Bom Jesus até à Rua do Frigorífico, onde se situa a Associação Protectora dos Pobres, passando pela Rua do Carmo, pela Rua Fernão de Ornelas e pelas proximidades do Anadia Shopping, todo este eixo é hoje em dia “propriedade” de pessoas conflituosas, com problemas de álcool, drogas e outras dependências. Cenas destas têm sido recorrentes, e inclusive a invasão de espaços fechados, ou tentativas de assalto nas casas das redondezas… ou mesmo assaltos concretizados. É o “salve-se quem puder”.