Agentes turísticos não pouparam nas críticas, em evento realizado ontem pelo PS

Os deputados do PS Madeira promoveram na tarde de ontem, na Reitoria da Universidade da Madeira, uma mesa redonda de debate, subordinada à temática  ‘Turismo na Madeira: o momento e o futuro’. Ali marcaram presença responsáveis de empresas do sector, “num debate vivo e muito frontal de todos os presentes, onde se ouviram múltiplas críticas tanto ao Governo Regional como ao Governo da República, bem como soluções por parte daqueles que melhor conhecem o sector”.

A iniciativa contou com o contributo de Eustáquio Gonçalves, director geral do Hotel Montemar Palace e Estalagem do Mar; Mestre Barbosa, director geral MB Travel; André Barreto, diretor geral Hotel Quintinha de São João; Jhonathan Rodrigues, director geral Madeira Adventure Kingdom, com moderação do deputado socialista Sérgio Gonçalves. O encerramento esteve a cargo de Paulo Cafôfo, presidente do PS-Madeira.

Sérgio Gonçalves recordou que os deputados socialistas apresentaram várias propostas para o sector do turismo, nomeadamente, as acessibilidades, plano de contingência, a nova marca Madeira, sustentabilidade e certificação do destino, propostas específicas que não tem contado com a aprovação da maioria PSD-CDS.

“Todas as propostas e as pessoas são válidas para serem ouvidas para melhorar e colmatar este momento que é de incerteza e de desconfiança”, salientou.

A abrir o debate, Eustáquio Gonçalves sublinhou que “as dificuldades a norte não deverão ser muito diferentes das que se passam no sector a sul”.

“A norte 5% do emprego é suportado pelo grupo”, declarou, apontando que “neste momento, não estamos a trabalhar para gerir bem ou mal, mas sim apenas tentar sobreviver”.

Defendeu assim “uma majoração igual ao que acontece no Porto Santo”, salientando ainda que “as empresas precisam de injecção de capital” pois “a ocupação não é suficiente para colmatar os salários dos funcionários e o layoff não é suficiente, apesar de já ser uma ajuda”.

“Neste momento, a época alta está a acabar e assusta o que aí vem, pois, os meses baixos vêm aí, e não deu para guardar do Verão para o Inverno”, expôs.

Por sua vez, André Barreto, acusou: “Os apoios do Governo Regional não chegaram a todos, e nem sei a quem foram atribuídos”.

Segundo contou, “tivemos de deixar de pagar a fornecedores para cumprir obrigações com o estado para aceder às linhas de crédito”, situação que torna insuportável tendo em conta a baixa ocupação nos meses de Verão.

Diz mesmo que “não podemos continuar com a política de obras públicas, derramando ‘rios’ de dinheiros sem critério e que deveriam ser canalizados para outras áreas e sectores”.

“Sem medidas a curto prazo, será difícil manter-se a longo prazo”, concluiu.

Jhonathan Rodrigues, por seu turno, na sua intervenção, declarou mesmo que não sabe como é que “a empresa ainda sobrevive, mas de certeza que não foi com apoios externos, que esses não tive”.

“Será que alguma empresa sobrevive com 5 mil euros”, questiona, explicando que “tendo a actividade completamente parada, e não é a fundo perdido como dizem, pois, para isso tenho de manter os postos de trabalho, algo quase impossível de acontecer”.

A fechar o painel, Mestre Barbosa, disse por seu turno que “as pessoas que estão no governo, antes de serem governo pediram-me opiniões, mas depois de ganharem as eleições mandaram-me à vida”.

Expôs ainda que “recebemos de apoio de 35 mil euros numa empresa e 11 mil noutra, no entanto, em impostos pagamos 1,5 milhões de euros”, criticando assim a falta de sensibilidade dos órgãos de governo.

Por fim, falou sobre o papel da Associação de Promoção da Madeira no apoio ao sector. “Nenhum dos operadores, no estrangeiro, com quem a ‘MB Travel’ é parceira, foi contactada pela AP-Madeira”, apontando que “este contacto é da responsabilidade da AP-Madeira” que não o tem feito.

No encerrar do debate, Paulo Cafôfo, salientou a importância dos contributos partilhados pelos agentes turísticos representados nesta iniciativa, ficando a promessa que as mesmas serão partilhadas com a secretária de Estado do Turismo, no próximo sábado, nas Jornadas Parlamentares do PS.

“O PS-Madeira, nesta abertura ao diálogo com quem realmente percebe do sector do turismo, procura propostas e soluções que possam ser o rumo certo, o rumo para inverter esta situação, que garanta a sustentabilidade das empresas e a garantia do emprego na Região”, frisou.

Por fim, salientou a importância da retoma do setor, reforçando mesmo que “o turismo está no topo das prioridades do Partido Socialista”, dando a garantia de concentrar esforços neste desiderato.