PSD acusa CMF de não querer discutir apoio aos comerciantes dos Mercados Municipais

O PSD-Madeira considera “inaceitável” que a CMF “se recuse a discutir, na reunião de amanhã, as 9 propostas que o PSD apresentou para colmatar as graves lacunas existentes nos Mercados dos Lavradores e da Penteada, adiando, assim e sem qualquer justificação, soluções que são urgentes e que, neste momento, estão a colocar em causa a própria sobrevivência dos negócios e o rendimento de muitas famílias funchalenses”.

Os vereadores social-democratas no Município do Funchal lamentam a postura “alheada da realidade” que o Executivo socialista “demonstra, ao não incluir a discussão das medidas já remetidas ao executivo camarário e que visam apoiar, directa e indirectamente, os concessionários destes espaços”.

O PSD quer apoios directo aos feirantes e medidas para “uma outra dinâmica comercial”.

“Desde a primeira hora que o PSD defendeu a isenção total das rendas até ao final do ano, nestes espaços – medida que o Executivo Municipal chumbou, preferindo optar pelo adiar desse mesmo pagamento para 2021 – e esta é uma solução que em muito ajudaria os nossos comerciantes no presente, desonerando-os de encargos no futuro”, defendem os social-democratas. Outras medidas propostas incluem a alteração, em 2021, do modelo de cobrança das rendas, passando de fixas para uma parte fixa acrescida de uma parte variável, indexada à facturação.

“A requalificação e melhoria dos espaços interiores destes Mercados, a criação de um serviço de entregas permanente, a execução dos procedimentos necessários à concessão de espaços devolutos, a aposta na maior promoção e divulgação destes espaços junto dos consumidores e a implementação de medidas tendentes a reforçar a procura (nomeadamente a oferta de estacionamento grátis a quem fizer compras acima de 10 euros) são, a par da criação, no Mercado dos Lavradores, de um mini balcão da Loja do Munícipe (ex. para pagamento da conta da água), algumas das medidas que o PSD pretendia ver discutidas e aprovadas amanhã”, refere uma nota de imprensa.