“Nós, Cidadãos!” interroga Albuquerque sobre prometidas obras na Escola da Levada

O partido “Nós, Cidadãos!” veio hoje questionar o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, sobre as obras prometidas para a Escola da Levada. Em Novembro de 2018, no acto de celebração do 40.º aniversário da Escola Básica e Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva (mais conhecida por Escola da Levada), Albuquerque afirmou: “Eu sei que esta escola precisa de melhoramentos” e “vamos aprovar o Orçamento Regional, e em Fevereiro o nosso presidente do conselho executivo nos convida a voltar aqui para tomar um café e nós vamos anunciar quais os melhoramentos que vamos fazer”.

Entretanto, diz o partido, “no início de Abril de 2019, numa nova visita à Escola da Levada – com ou sem a toma do
prometido café – Miguel Albuquerque, divulgou que este estabelecimento de ensino do Funchal iria entrar em obras ainda este ano (2019). E referiu: “Vamos lançar o concurso em Junho para a remodelação total desta escola”, e será um investimento de quase dois milhões de euros que irá permitir um melhoramento em toda a infraestrutura, “tanto no exterior como no interior, incluindo os necessários arranjos das salas de aula, do auditório e ainda o melhoramento nos espaços desportivos”.

A ideia seria “avançar com as obras no final de Setembro, início de Outubro” (2019)” e o presidente, na altura, considerou “importante mantermos as escolas em boas condições”. Albuquerque, lembra o “Nós, Cidadãos”,  esqueceu, na altura, que os seus dois grandes compromissos para a legislatura eram a construção das escolas do Porto Santo e da Ribeira Brava (esta última presentemente ainda por concluir e inaugurar). Ora, a ciência da Psicologia diz-nos que um dos “pecados” da memória é o esquecimento e existem várias explicações para o esquecimento, desde falhas na codificação da informação até a lesões que danificam os sistemas de recuperação das memórias. Não será, muito provavelmente, nenhuma destas a causa do esquecimento das acima citadas obras”, ironizam, acrescentando: “(…) autores de outras áreas científicas declaram que em política o esquecimento é não
apenas uma realidade inerente à memória, mas essencialmente, uma necessidade”.

Assim, o partido pergunta se o presidente do Governo Regional, precisará de ir uma terceira vez à Escola da Levada para anunciar o que já foi anunciado em 2018 e 2019. Pois, diz o provérbio popular, “à terceira é de vez”!