Direcção da ABAMA “atira-se” à Gesba e ao Governo Regional

Uma nota de imprensa da ABAMA denuncia “o grande embuste da Gesba”, que, diz a organização representada por Antonino de Abreu, foi constituída “com a falsa promessa de resolver os problemas do sector da banana da Madeira “revolucionar o sector” mas, na realidade foi constituída para sugar escandalosamente a ajuda comunitária da banana do agricultor que passou de 0,059€/kg em 2005, para 0,446€/kg a partir do ano de 2007, baixando o preço pago ao produtor”.

Em 2005, acusa a ABAMA, “a banana paga ao produtor por categoria era: Banana  extra 0,60€/kg; Banana  de primeira  0,51€/kg e Banana  de segunda 0,30€/kg mais a ajuda comunitária; em 2020 a GESBA  paga ao produtor por categoria: Banana  extra 0,268€/kg; Banana  de primeira  0,178€/kg e Banana  de segunda 0,074€/kg mais a ajuda comunitária”.

O organismo considera importante informar a todos, os agricultores e ao público em geral,  que o valor pago ao produtor de banana por categoria é inferior em média 0,30€/kg em relação ao ano 2005.

A ABAMA “lamenta a desorientação, desnorteio, desconhecimento, falta de carácter e a má fé do Sr. Jorge Dias, do Sr. Miguel Albuquerque  e do grupo Parlamentar do PSD Madeira, em afirmar que os agricultores estão a receber mais dinheiro à custa da “boa gestão da Gesba” atirando areia para os olhos dos agricultores e da população em geral”. E denuncia novamente que os resultados financeiros devem-se ao aumento considerável da ajuda comunitária e à estagnação do preço pago ao agricultor, permitindo margens de lucros bastante significativas à empresa pública à custa da ajuda comunitária para a banana do agricultor.

A ABAMA afirma-se apostada em defender apenas os interesses dos produtores da banana da Madeira, “aqueles que metem as mãos na terra, defendem a qualidade do que se produz, valorizando a nossa ilha, quer para o turismo, quer a paisagem, quer o meio ambiente, como os postos de trabalho, assim como alavancar a economia local e a marca banana Madeira”.