Eleições no PS-M a 25 de julho e Congresso a 19 e 20 de setembro

A Comissão Regional do Partido Socialista-Madeira, reunida ontem, agendou as eleições para a escolha do novo presidente do partido para o dia 25 do próximo mês de julho e o XIX Congresso Regional para 19 e 20 de setembro.

Segundo uma nota de imprensa, a marcação de novas datas para o ato eleitoral (dia em que serão escolhidos o presidente do Partido, a presidente das Mulheres Socialistas e eleitos os delegados ao congresso) e para a realização da reunião magna dos socialistas madeirenses deve-se ao facto de estes eventos terem sido adiados por causa da pandemia de Covid-19, explicou o presidente do PS-M.

Recorde-se que, no passado mês de fevereiro, a Comissão Regional havia marcado as eleições para o dia 9 de maio e o congresso para 23 e 24 do mesmo mês, mas a pandemia causada pelo novo coronavírus impossibilitou a sua concretização.

Na reunião de ontem à tarde foi também analisada a situação política atual, tendo Emanuel Câmara aproveitado para salientar o facto de os deputados socialistas madeirenses à Assembleia da República terem, recentemente, votado favoravelmente as propostas relativas à suspensão dos artigos 16.º e 40.º da Lei das Finanças Regionais, sobre o limite de endividamento e equilíbrio orçamental, bem como a moratória para três parcelas de pagamentos do empréstimo do Plano de Ajustamento Económico e Financeiro.

O presidente do PS-M criticou o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, por, sistematicamente, dizer que as novas medidas foram aprovadas por todos os partidos, menos o PS. «Uma mentira dita muitas vezes parece verdade» afirmou Emanuel Câmara, esclarecendo que «o PS-Madeira votou ao lado dos madeirenses e dos porto-santenses» e «não votou ao lado das políticas do passado do PSD, que criou uma dívida, castrou o nosso dia a dia e o futuro dos madeirenses e porto-santenses».

«Os três deputados à Assembleia da República, de uma forma consciente, concertada, pensando na Madeira em primeiro lugar, votaram contra a orientação do Partido Socialista a nível nacional, mostrando, de uma vez por todas, que para o PS-M primeiro estão os madeirenses e porto-santenses», rematou o dirigente.

De referir que, dada a realidade atual, a reunião decorreu de acordo com o respeito pelas regras de distanciamento indicadas pelas autoridades de saúde, sendo que parte dos membros da Comissão Regional participaram na iniciativa por videoconferência.