Rui Abreu realça importância da comunidade russófona na Madeira para a economia regional

O director regional das Comunidades e da Cooperação Externa, Rui Abreu, referiu hoje que manterá um “relacionamento muito próximo com a comunidade russa na Madeira”, que escolheu a Região não só “para residir”, mas também “para investir e desenvolver os seus negócios.” A garantia foi dada à saída de um encontro mantido com Maria Marochkina e Anna Palcy, presidente e presidente honorária, respectivamente, da Associação Onda Russa.

Nos últimos anos, adiantou Rui Abreu, “esta comunidade cresceu muito na Madeira, graças ao Golden Visa e a outros investimentos realizados, contando actualmente com mais de 1.500 russófonos”.

“Se a primeira vaga de emigração do Leste europeu, recordou Rui Abreu, incidiu no sector da construção civil, assumindo um importante papel no desenvolvimento da Região nos últimos cinco anos temos assistido a uma emigração que escolhe a Madeira para investir, continuando a contribuir para a criação de riqueza”, refere uma nota de imprensa.

“Para nós esta comunidade é importante, porque já tem muitos investimentos na Madeira e nós queremos mais”, disse o director regional, assumindo que quer manter um “relacionamento de proximidade” com a Associação Onda Russa. Ela também, interessada em trazer mais cidadãos russos para a Madeira, aproveitando as muitas vantagens de investimento na Região, como o Golden Visa.

Esta mudança de paradigma, continua a ter grande relevância para a economia regional, e acontece devido à “grande qualidade de vida que aqui encontram”, graças ao “bom clima”, à “forma amigável hospitaleira e tolerante como são recebidos” e à “gastronomia”.

Preservar e dinamizar a cultura e a língua russa, são outros dos grandes objectivos desta Associação. “Temos alunos madeirenses jovens e adultos interessados na cultura russa e interessados em aprender a língua russa”, referiu, sublinhando que as aulas de russo também são muito solicitadas pelos profissionais do sector imobiliário e pelos idosos.

A comunidade russa, de olhos postos no futuro, pretende ainda criar uma biblioteca, uma vez que possui um grande espólio de livros, contando com o apoio da Embaixada Russa em Portugal para a concretização deste projecto, refere a nota das Redacções.

Rui Abreu falou ainda das datas marcantes para esta comunidade, como são os casos do Dia da Vitória e Paz celebrada a 9 de Maio, dia em que também homenageiam os mortos da Segunda Grande Guerra. “Esta data é muito importante para a comunidade, porque quase todas as famílias têm alguém que morreu na 2ª Guerra Mundial.”

“Recorde-se que este é o quatro encontro inserido no ciclo de reuniões o movimento associativo promovido pela Direcção Regional das Comunidades e da Cooperação Externa. A primeira reunião aconteceu com a VENECOM, uma associação da Venezuela, a segunda com a Associação Luso Sul-Africana de Portugal, e a terceira com a Associação Cultural e Recreativa dos Africanos na Madeira”, conclui o comunicado.