Estepilha: Testes com descontos de presidente e borlas de secretário

O Estepilha já tirou todas as dúvidas quanto a eventuais candidatos ao que quer que seja: Albuquerque a Belém, Cafôfo à Quinta Vigia ou outros. E é uma decisão sem pestanejar, vota já em Eduardo Jesus, o governante que conseguiu fazer um desconto maior do que Miguel Albuquerque para o teste de Covid-19 à chegada ao Aeroporto Internacional da Madeira Cristiano Ronaldo, deixando o presidente do Governo num “beco sem saída”. Fez mais do que desconto, fez de borla.

Miguel Albuquerque, como se sabe é o líder do Governo Regional, tem um crédito político como há muito não se via, trazido pela pandemia, apesar dos avanços que depois dão em recuos e emendas de resoluções, mas mesmo assim tem capital para durar uns tempos. E foi Albuquerque que hoje, em Câmara de Lobos, decidiu que o teste, que já não devia ser pago desde início da deliberação, acabou por assegurar, com certeza, que o teste, afinal, teria um desconto “significativo” para os residentes. O que, continuando a não fazer sentido, era o sentido de Presidente e um mal menor. E em garantia de líder não se mexe, pensa o povo. Mas mexe-se e bem, quando é para melhor, o que foi o caso. Ainda por cima, quando o presidente estava numa fase com um olho em Belém e outro no teste.

E, claro que na Quinta Vigia, como várias cabeças pensam melhor do que uma, saiu um teste gratuito, e muito bem, com mensagem através do secretário regional do Turismo e Cultura no sítio do costume, passe a publicidade que o Estepilha já ouviu, julga, numa publicidade de supermercado.

O Estepilha leva quase tudo na brincadeira, mas mais a sério felicita o Governo por decidir o que nunca deveria ter deixado de decidir numa terra de turismo. Fazer testes faz todo o sentido, ser gratuito também faz, face à necessidade de fazermos uma “operação de charme”, além da segurança em saúde, no sentido de termos uma retoma turística mais rápida e atrativa e ainda por cima de confiança.

O Estepilha espera que esta candidatura a Belém, que só pode ser de pressão, não traga problemas de concentração ao presidente. Muitos anos de vida é o que se deseja, também politicamente, de forma realista.

E já agora: venham mais descontos de borla. Mesmo desta forma…