Secretário apela aos profissionais de Saúde para compreenderem necessidade de reorganização neste momento

O governante com a tutela da Saúde, Pedro Ramos, veio hoje tranquilizar os profissionais de saúde, médicos, enfermeiros e outros, obrigados a reenquadrar-se na reorganização do sistema actualmente em curso, que “todos eles manterão o seu vínculo”, não havendo alterações. “Esta é medida extraordinária, é uma medida extraordinariamente protectora para os profissionais e para os nossos doentes”, declarou na conferência diária do IASAÚDE, em conjunto com a vice-presidente do Instituto, Bruna Gouveia. “As equipas continuarão a ser reorganizadas consoante as necessidades e o evoluir da situação”.

“Os horários têm quer ser diferentes. Os turnos têm que ser diferentes. A composição das equipas tem que ser diferente. Só o inadiável é que tem que ser cumprido. Protejam-se, não se exponham”, recomendou. “Todos poderão ser precisos num futuro muito próximo para intensificar a nossa luta”.

“Vamos continuar com a nossa quarentena, com o nosso isolamento social, com a nossa vigilância activa”, disse. Referindo-se ao prolongamento do estado de Emergência, Pedro Ramos referiu: “Ainda estamos no início do combate”.

Deixou ainda uma palavra de agradecimento aos bombeiros que efectuam o transporte dos doentes e a todos os outros profissionais relacionados com os sector da Saúde e declarou que as medidas “restritivas” aplicadas aos cidadãos são “obrigatoriamente para cumprir”, porque está em causa o bem comum.

Lamentou, por outro lado, que ainda haja pessoas que não tomam os cuidados necessários e procuram contornar as indicações profiláticas prescritas pelas entidades oficiais, e que se verifica hoje em dia que “eram mais do justificadas”.

Apelou aos habitantes da RAM, mais uma vez, para permanecerem em casa e evitarem saídas desnecessárias.