Estepilha: “Azedume no laranjal”

psd madeira logoO Estepilha já sabia que o ambiente no PSD, tanto lá como cá, anda num “azedume” que se em relação a Lisboa ainda se compreende por não haver vitórias e Rui Rio andar meio perdido naquele “ninho”, já em relação à Madeira é inesperado e até incompreensível (ou talvez não…) face às tão propaladas três vitórias num ano só e ainda por cima com tudo unido em cima do palco. Mas é mesmo assim, não há nada a fazer. Dizem ao Estepilha que a unidade foi conjuntural mas o problema é estrutural.

Como se não bastasse o voto dos deputados do PSD-M no Orçamento de Estado, contrária à indicação da bancada social democrata na República, vieram as eleições diretas internas para trazer a “lume” esta crispação tipo “guerra fria”. E ainda por cima com Jardim, que é o mandatário regional de Rui Rio, a fazer alertas para o partido na Região e a falar da necessidade de acabar com “chapeladas”. E, ainda, um deputado social democrata a questionar “depois de mim o caos, é isso?”

Por isso é que o Estepilha anda meio baralhado, para não dizer todo, sem saber a quem se dirigem estes “piropos” tão incisivos. E agora ficou ainda mais quando hoje leu, no JM e na página pessoal de Alberto João Jardim, no Facebook, um artigo do ex-presidente do PSD-M e ex-presidente do Governo Regional, com vários “post-scriptum”, um modelo muito ao gosto de Jardim, se bem que o Estepilha, ainda que a memória já não seja o que era, não se lembra de um texto só de “post-scriptum”. Há sempre uma primeira vez mesmo com aquele currículo.

Jardim, neste artigo, tem vários “post-scriptum”, num deles diz que gostou das luzes da “Festa” mas dá uma “porrada” no fogo. Mas num outro fala de um articulista do mesmo JM, se bem que o Estepilha não consegue identificar e não está para andar à procura e pagar assinaturas digitais para ver quem foi o “escritor”. Mas para memória futura, aqui fica o contéudo para quem ainda se der ao trabalho de fazer um exercício que visa adivinhar a quem se dirige Jardim:

“Por fundamentalismo “renovadinho”…há dias, neste diário, um escriba a tal serviço, compulsivamente imposto a Gabinete que o atura, reescrevia a História das eleições autárquicas de 2013 que o PSD ainda ganhou em votos e número de Autarquias. Mas esquecveu-se do principal!…

Olvidou aquela “estratégia brilhante” interna de mandar votar na Oposição, para ver se o Alberto João desandava conforme essas criaturas pretendiam.

“Estratégia brilhante” que lançou as actuais dores de cabeça deles, a começar pelo Paulo Cafôfo e outros!…”