Canárias de portas abertas para os madeirenses

Rui Marote, em Las Palmas (texto e fotos)
As Canárias, em finais dos anos 70 e na década de 80, foi o “quintal” dos madeirenses. O operador turístico Sol Férias pretende agora recolocar nas preferências dos madeirenses um destino que durante anos foi como que uma segunda casa, para muitos.
Recordamos ainda o operador turístico Madvia – agência de viagens associadas Madeira que durante largos anos promoveu esse destino durante os meses de Verão.

A TAP tinha dois voos semanais a partir do Funchal, o TP411 para Las Palmas e o TP 415, de regresso ao Funchal, e uma delegação em Las Palmas, sendo o delegado o Sr. Camacho. O movimento era tão grande que os agentes de viagem recorriam a voos charters comandados pela Barbosa. Em Agosto, havia voos diários com duas frequências, além do voo TAP. O destino estava no sangue dos ilhéus, curiosamente: sair de uma ilha para ir para outra ilha.  Fazer praia e compras eram os objectivos. A  peseta estava então forte, e o escudo desvalorizado, quando o governo decretou no período de Vasco Gonçalves que só poderíamos viajar com 7.500$00.
A Madvia praticamente extinguiu-se, a Barbosa encerrou e nasceu o Mundo Vip, graças ao empenho de Luciano, ex da Agência Barrbosa, que mantinha contactos com os “nuestros hermanos canarios”.
O governo de Alberto João e João Carlos Abreu no Turismo manteve laços fraternos  com o governo canário, com cimeiras nas Canárias, ora na Madeira. Hoje praticamente estão de costas voltadas, embora sejam regiões igualmente ultraperiféricas. A Binter marca presença por estar a prestar serviços ao Porto Santo, e efectuando três voos semanais para Las Palmas, em que mais de 80% dos lugares são ocupados por canários. A TAP tem voos semanais para Las Palmas a partir de Lisboa, directos. Mais uma vez os madeirenses recorrem a companhias aéreas de outras nacionalidades.
Quanto à Agência de Promoção da Madeira, não investe na promoção deste destino, que semanalmente recebe cerca de 90 canários que chegam pelas mãos da Binter sem gastar um euro.

A SOL FÉRIAS prepara o Verão oferecendo aos madeirenses um destino que já deu cartas, convidando os jornalistas madeirenses para apresentar Canárias como, de novo, um “quintal”de férias.
Durante três dias foi apresentada Gran Canária, como um destino para o ano inteiro, invocando razões para a visitar nas suas próximas férias: praias, turismo activo, desportos náuticos, natureza, cultura e gastronomia.
Outras razões são o clima ameno ao longo de todo ano, mesmo nos meses de Inverno. A temperatura anual é de 24ºC. Há praias para todos os gostos. O sul é a parte da ilha mais agitada,com atracções como Puerto Rico, Maspalomas, Meloneras, Playa do Ingles… Reserva mundial da Biosfera, reúne condições ideais para a prática de caminhadas, BTT ou escalada. Tem um património riquíssimo, no qual se incluem museus e monumentos.

Tudo isto além da Playa de las Canteras em Las Palmas, e recentemente a grande atracção Poema del Mar, um grande aquário ao pé do porto, de encher o olho.
A gastronomia da Gran Canaria é um caldeirão pleno de sabores e não falta o famoso queijo Flor de Guia.
Aqui fica um convite para umas férias mesmo aqui ao lado e acessíveis aos bolsos, sem subsidio de insularidade. Nós ilhéus temos de ver o mar todos os dias, pois recomenda-se.