Governo Regional salienta importância de intervenção nas escarpas que afectará trânsito na via rápida

O secretário regional de Equipamentos e Infraestruturas, Pedro Fino, considerou hoje muitos importantes as intervenções que decorrerão nas escarpas sobranceiras ao túnel João Abel de Freitas e que principiam amanhã, dia 21. A sua importância, justificou, prende-se com a segurança das pessoas que circulam neste troço de via rápida. As obras obrigarão ao condicionamento do trânsito “para os trabalhos decorrerem com a máxima segurança e cautela”.

“Para minimizar o impacto das obras”, declarou, estes trabalhos, cujo investimento ronda os 200 mil euros, decorrerão em duas fases. Na primeira fase, que arranca amanhã, 21 de Novembro, pretende-se proceder à execução dos trabalhos sobre o ramo de saída e faixa Sul do Túnel João Abel de Freitas. Para o efeito será necessário proceder ao corte da VR1 no sentido Ribeira Brava – Caniçal, no Funchal, entre o Nó de Santo António (Nó 10) e o Nó de Santa Luzia (Nó 11). A conclusão desta primeira fase está prevista a 6 de Dezembro, decorrendo nos seguintes períodos:

– Diariamente em período nocturno das 21:00h às 06:00h (com menor afluência de trânsito)

– Domingos durante todo o dia (24 de Novembro e 1 de Dezembro).

Por esta razão, os utentes da VR1 que pretendam proceder ao seu trajecto nestes horários no sentido Ribeira Brava – Caniçal deverão respeitar a sinalização colocada na via, devendo abandonar a VR1 na saída do Nó do Pilar (Nó 9) ou do Nó de Santo António (Nó 10), podendo retomar o seu percurso no ramo de entrada da VR1 em Santa Luzia (Nó 11).

Na segunda fase, os trabalhos sobre a faixa Norte do Túnel João Abel de Freitas têm início previsto a 7 de Janeiro de 2020, pelo período estimado de duas semanas, no mesmo horário. Para o efeito será necessário proceder ao corte da VR1 no sentido Caniçal – Ribeira Brava, no Funchal, entre o Nó da Pestana Júnior (Nó 12) e o Nó de Santo António (Nó 10).

Os utentes da VR1 que pretendam proceder ao seu trajecto nestes horários no sentido Caniçal – Ribeira Brava deverão respeitar a sinalização colocada na via, devendo abandonar a VR1 na saída do Nó da Pestana Júnior (Nó 12) podendo retomar o seu percurso no ramo de entrada da VR1 em Santo António (Nó 10) ou no Pilar (Nó 9).

O director regional de Estradas, António Ferreira, referiu, na ocasião, que “era inevitável fazer estes trabalhos em período nocturno, para não perturbar tanto o tráfego automóvel.

“Articulámos este trabalho com a Câmara Municipal do Funchal, temos uma licença especial de ruído emitida para esse efeito, mas são inevitáveis os constrangimentos ao tráfego, por isso apelamos à compreensão das pessoas para que, de facto, facilitem e reorientem os seus percursos, de maneira a minimizar as implicações na cidade, mas é inevitável fazer esta obra por razões de segurança”, sublinhou.