Colóquio “As Mobilidades no Espaço e no Tempo” decorre até amanhã no CEHA

“Para entendermos a História da Madeira, é preciso compreender o fenómeno da migração”, referiu esta manhã, a directora regional da Cultura, na sessão de abertura do Colóquio “As Mobilidades no Espaço e no Tempo”, que decorre até amanhã, sexta-feira, no Centro de Estudos de História do Atlântico Alberto Vieira, no Funchal, refere um comunicado.

É a primeira vez que este encontro se realiza sem a presença de Alberto Vieira e por, este motivo, Teresa Brazão salientou que este colóquio é também uma forma de homenagear o historiador e mentor do projecto, ao prosseguir os trabalhos de pesquisa e estudos, que é, no fundo, a grande vocação do CEHA.

Cláudia Faria, do CEHA, por seu turno, destacou o trabalho desenvolvido por Alberto Vieira ao dedicar a sua vida à história insular e ao centro, desejando aos convidados e participantes que este colóquio sirva para encurtar distâncias  entre a Ilha e o mundo.

Cristiana Bastos, antropóloga e co-organizadora do colóquio enalteceu o trabalho académico do Centro de Estudos, que diz servir de exemplo a nível nacional pelo seu papel de “âncora” entre o conhecimento e a comunidade.

O colóquio termina esta sexta-feira e a entrada é livre.