Qualidade do ensino superior no espaço ibero-americano em debate na UMa

 

O IX Congresso Internacional da RIAICES (Red Iberoamericana de Investigación de la Calidad de Educación Superior) terá lugar na Madeira, na Reitoria da UMa, nos dias 18, 19 e 20 deste mês.

Segundo a presidente da comissão organizadora do evento, Jesus Maria Sousa, a Universidade da Madeira foi escolhida para organizar o Congresso que visa debater a questão da qualidade de ensino superior no espaço ibero-americano.

O tema de fundo é “Avaliação (externa) da qualidade do ensino superior e autonomia científica: tensões e desafios.”

A Red Iberoamericana de Investigación para la Calidad de la Educación Superior (RIAICES) tem como objetivos prioritários, entre outros, os seguintes:

  1. a)  Assessorar e apoiar os fatores que condicionam o sucesso nas tarefas de acreditação, certificação e outros aspetos relacionados com a Qualidade do Ensino Superior, sem desconsiderar as práticas internas que afetam tais processos;
    b) Desenvolver processos e estratégias de ajuda, apoio e colaboração na atividade de autoavaliação da Qualidade do Ensino Superior em Instituições Educacionais Ibero-Americanas;
    c) Criar e estruturar funcionalmente o Observatório Ibero-Americano de Qualidade do Ensino Superior;
    d) Atender a toda e qualquer colaboração nesta área que possa ser de interesse recíproco no âmbito da UE, países do Mediterrâneo, África ou outro qualquer;
    e) Realizar estudos comparativos e multicêntricos sobre a temática;
    f) Desenvolver ou colaborar no desenvolvimento de Programas de Investigação relacionados com a Qualidade do Ensino Superior em todas as suas manifestações e âmbitos;
    g) Organizar e desenvolver núcleos da RIAICES nos respetivos países para favorecer a pesquisa correspondente e assumir o papel de coordenação nos mesmos;
    h) Produzir pelo menos uma publicação periódica sobre esta temática;
    i)  Realizar um congresso regularmente.

Reconhecendo que o conhecimento é a alavanca essencial do desenvolvimento científico, social, económico e cultural de um país, num panorama global altamente competitivo, a RIAICES, ao invés, propõe-se partilhar esse conhecimento e aprofundar laços de cooperação, criando sinergias entre os países do espaço ibero-americano, em prol da qualidade do ensino superior, propósito esse que a Universidade da Madeira (UMa) também comunga.

De facto, sem renunciar à sua identidade própria, necessariamente marcada pela sua condição ultraperiférica europeia, a Universidade da Madeira está aberta ao mundo, tal como explicita no seu Projeto Estratégico: “Existimos para preparar os nossos estudantes para os desafios da sociedade global, transmitindo-lhes conhecimento científico, competência técnica e uma formação transversal que os transforme em cidadãos do mundo, criativos e independentes, responsáveis e profissionais, tolerantes e atentos aos desafios ambientais, culturais e humanos duma sociedade que se pretende sustentável e equitativa. Existimos para colaborar com a comunidade, os governos, as empresas, as associações profissionais e instituições de ensino superior e investigação, descobrindo, disseminando e aplicando o conhecimento, para o seu desenvolvimento económico, social e cultural. Existimos para colaborar na evolução da Madeira e das comunidades envolventes, abrindo-as ao mundo, afirmando e valorizando a sua identidade cultural e respondendo às suas necessidades específicas no âmbito da formação, da investigação e da cultura.”

Assim, num equilíbrio entre a autonomia científica tradicionalmente conferida ao ensino superior, por um lado, e as políticas viajantes que tendem à uniformização das matrizes curriculares e dos processos pedagógicos ditados externamente, através de agências reguladoras, por outro, servirá este IX Congresso Internacional RIAICES, enquanto fórum independente, para a reflexão e o debate sobre a qualidade do ensino superior.