Candidato do Bloco lembra que Carlos Pereira votou contra o pagamento de 86 euros do subsídio de mobilidade

BE 1 de otuubroA candidatura do Bloco de Esquerda Madeira, cujo cabeça de lista é Ernesto Ferraz, esteve hoje no Aeroporto Internacional CR7 para falar da mobilidade. E para dizer que há aviões mas não há barco, ou melhor “há ligação marítima esporadicamente”.

O candidato diz que “a continuidade territorial é uma obrigação do Governo da República mas nunca se cumpriu, independentemente do governo que esteja em Lisboa. A ministra do Mar diz que a Madeira estava bem servida por meio aéreo, mas o que se verifica é que o aeroporto da Madeira tem limitações de ordem atmosférica quem está na Madeira, residentes e turistas, não têm soluções”.

Ernesto Ferraz lembra, nesta ação de campanha, o processo do subsídio de mobilidade e acusa carlos Pereira, candidato do Partido Socialista, de ter votado, em Lisboa, contra a proposta da Madeira, aprovada no Parlamento Madeirense por unanimidade, onde era proposto o pagamento único de 86 euros por parte dos madeirenses. Hoje, o candidato está ao lado dos madeirenses em campanha eleitoral”.