JPP quer plano de contingência para o Aeroporto da Madeira

 

O JPP levou a efeito uma actividade junto ao Aeroporto da Madeira, com o fito de salientar a importância de exercer pressão no Governo da República para que abra uma negociação séria com o Governo Regional da Madeira e com a própria ANA, no sentido de encontrar soluções para a actual situação do Aeroporto.

O partido propõe a criação de um plano de contingência que contemple as situações de inoperacionalidade do Aeroporto da Madeira. “Como sabemos, infelizmente, as situações de inoperacionalidade são cada vez mais comuns, principalmente na condição dos ventos”, referiu Lina Pereira.

A cabeça-de-lista do JPP pelo círculo da Madeira à Assembleia da República declarou que devido às situações de inoperacionalidade, “os aviões acabam por regressar à origem ou então ficam a aguardar em aeroportos próximos, mas é sempre um constrangimento, principalmente para o sector do turismo.”

O “Juntos pelo Povo” acredita que se existisse um plano de contingência que integrasse, de forma séria e estruturada, uma solução, já sugerida por vários especialistas, que passa pela adaptação do Aeroporto do Porto Santo e uma ligação marítima rápida entre a ilha do Porto Santo e a ilha da Madeira com chegada ao Caniçal, seria sem dúvida uma mais valia e é uma necessidade urgente. “Temos que começar a pensar numa estratégia mais alargada para que a situação não se agrave.”

A questão da mobilidade, referem, é uma da preocupações que o JPP quer levar à Assembleia da República na próxima legislatura.