Obra de segurança do troço Estreito da Calheta/Jardim do Mar com três concorrentes apurados, veja as imagens

jardim do mar 2jardim do mar 3jardim do mar 5Está a decorrer o concurso público da “Fase – A” da intervenção denominada “Prevenção e Mitigação do Risco de Derrocadas nas Escarpas Sobranceiras à ER 223 – Troço Estreito da Calheta/Jardim do Mar”, que tem como objetivo o melhoramento das condições de segurança e operacionalidade desta ligação viária.

Recorde-se que este troço de estrada revelava-se de grande perigo para quem ali circulava, são conhecidas as recorrentes derrocadas com origem no talude sobranceiro à via que colocam em risco a vida de pessoas e bens pelo que se imponha encontrar uma solução alternativa para obviar este problema.

Os trabalhos consistem na construção de uma variante à atual estrada, adotando-se a solução de túnel como forma de contornar a zona em que os taludes apresentam piores condições de estabilidade, de acordo com a secretaria regional dos Equipamentos e Infraestruturas, que tem o pelouro das obras públicas.

Esta obra integra um novo túnel de acesso ao Jardim do Mar e ao Paul do Mar com uma extensão de 1.051 metros integrando igualmente uma rotunda na zona terminal que permite uma melhor interligação com o atual Túnel para o Paul do Mar e com o Acesso ao centro do Jardim do Mar.

Ao Concurso Limitado por Prévia Qualificação, com preço base de 18,5 milhões de euros, apresentaram-se cinco candidaturas, constituídas pelas seguintes empresas e agrupamentos:

– Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A.

– Tecnovia Madeira – Sociedade de Empreitadas S.A. e AFAVIAS – Engenharia e Construções, S.A.

– OPWAY – Engenharia, S.A. e Alexandre Barbosa Borges, S.A.

– Zagope – Construções e Engenharia, S.A.

– MOTA-ENGIL – Engenharia e Construção, S.A.

Concluída esta fase inicial, qualificaram-se as seguintes empresas e agrupamentos:

– Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A.

– Tecnovia Madeira – Sociedade de Empreitadas S.A. e AFAVIAS – Engenharia e Construções, S.A.

– Zagope – Construções e Engenharia, S.A.

Segundo elementos que o FN teve acesso, “estas empresas deverão apresentar as suas propostas de preço durante o próximo mês de outubro. O critério de adjudicação é o do mais baixo preço”.

Outro dado revela que “será lançado durante o próximo mês de outubro a empreitada correspondente à “Fase – B” e que completa a intervenção até ao Estreito da Calheta (entroncamento com o Caminho da Ribeira Funda), numa extensão aproximada de 828 metros”.

Neste troço a escarpa sobranceira à via apresenta alturas entre 130 a 150 metros, sendo que a solução encontrada para proteção dos utentes consiste na construção de uma estrutura “em consola”, em betão armado pré-esforçado (conforme imagens tridimensionais enviadas em anexo), com cerca de 570 metros, dividida em dois troços de 240 e 331 metros.

A faixa de rodagem terá uma largura de 6,50 m nas zonas com estrutura de betão armado, acrescido de um passeio com 1,00 m que assegurará uma maior segurança aos peões nas deslocações entre o Jardim do Mar e o Estreito da Calheta.

No âmbito da obra, será também beneficiado o pontão sobre a Ribeira Funda, cuja extensão é cerca de 15 metros, e na parte final do traçado será estabilizado o talude sobranceiro à ER223, numa extensão de 114 metros, com recurso a betão projetado e pregagens.

A intervenção compreende ainda os trabalhos de pavimentação, iluminação pública, sinalização vertical e horizontal e equipamentos de segurança.

Estima-se que a presente intervenção tenha um prazo de execução de 12 meses e será colocada no mercado com um preço base de € 11,2 milhões de euros.