PDR defende “transparência” na atribuição de verbas às instituições particulares de solidariedade social

pdr

O Partido Democrático Republicano (PDR) revelou hoje que quer saber “de que forma estão a ser utilizadas as verbas entregues às várias instituições de solidariedade social e para tal pede uma maior fiscalização dos serviços de Segurança Social. “Há que garantir a transparência de todas estas instituições. Para o próprio bem das entidades, mas também para que a população possa ter confiança no destino que é dado ao dinheiro público”, refere Filipe Rebelo.

Sendo a solidariedade social uma área muito sensível na nossa sociedade madeirense, com uma parte da população que tem carências assumidas e precisa de apoio, “não podemos esquecer que há quem se sirva dos dinheiros indevidamente”, alerta o candidato do PDR às regionais de setembro.

A área da inclusão, por exemplo, “deve merecer uma maior atenção por parte das entidades públicas. “Não podemos fechar os olhos a estas questões ou achar que basta dar dinheiro para resolver os problemas. Os problemas resolvem-se, sim, com um trabalho de base e com pessoas de confiança e competência à frente das IPSS e das várias associações”.

Regionais 2019

Filipe Rebelo considera que é preciso um cruzamento de dados entre as várias instituições que prestam um serviço à população, caso contrário as verbas, os bens alimentares, etc, são sempre canalizados para os mesmos. “Não podemos negar que há gente a fazer negócio à custa da Segurança Social”. E é para isso que a aposta na fiscalização é uma das prioridades.”