Cafôfo promete resolver problemas graves de habitação até 2026

O candidato do Partido Socialista-Madeira a presidente do Governo Regional, Paulo Cafôfo, afirmou hoje que vai resolver os problemas de habitação graves na Região até 2026, quando se comemorarem os 50 anos da Autonomia.

Cafôfo garantiu-o hoje na Avenida das Madalenas, em Santo António, onde realizou contactos com a população e com os comerciantes locais. O candidato exortou à “coragem de mudar”, argumentando que “a Madeira não muda há mais de 40 anos”.

“(…) temos de assumir uma nova postura de fazer política, temos de ter novos desafios e temos, acima de tudo, de mobilizar as nossas energias para termos uma Região mais desenvolvida”, apontou.

Afirmando-se um “português por inteiro”, mas “madeirense primeiro”, Paulo Cafôfo disse que, enquanto madeirense, quer lutar pela sua terra, “para podermos ter outro futuro, outro modelo de desenvolvimento”.

“Nós precisamos de ter uma estratégia de desenvolvimento para a Região que não seja aquilo que tem acontecido até ao momento”, adiantou, classificando as medidas do Governo Regional como “avulsas, eleitoralistas e sem uma visão estratégica”. Por isso, o candidato frisou que quer ter uma Região onde haja mais igualdades, mais oportunidades, crescimento económico e melhores políticas sociais para as pessoas.

“Passados mais de 40 anos sobre a Autonomia, é importante que em 2026, quando se comemorar os 50 anos da Autonomia, possamos ter a resolução dos problemas de habitação graves aqui na Região […]. Esse é um compromisso que efectivamente assumo, porque, infelizmente, temos pensões baixas, temos precariedade no trabalho, temos baixos salários e as pessoas não têm a garantia do direito à habitação”, disse. De acordo com Paulo Cafôfo, “o PS quer e irá com certeza fazer diferente, porque não basta querer mudar, é preciso fazer diferente”, sendo que “fazer diferente é resolver os problemas com os instrumentos que a Autonomia nos dá”.

A estratégia de criar habitação passa por recuperar casas que estão degradadas; por subsidiar as rendas e construir habitação nova em diferentes áreas geográficas, com a intenção também de combater a desertificação dos concelhos mais a norte e dos concelhos rurais, criando condições para as pessoas poderem estabelecer-se nesses locais, mas também no Funchal.

Neste último eixo, Cafôfo salientou que “não queremos criar guetos”, mas sim “que haja uma habitação social aberta”, em que as pessoas possam relacionar-se, num espírito comunitário e familiar e numa forma intergeracional, “criando dinâmicas que possam servir para alavanca social e não para criar estigmas”.

Hoje surgiu o autocarro de campanha do partido, que percorrerá toda a Região. “Este autocarro que hoje está pela primeira vez em uso na nossa campanha acaba por ser uma sede de campanha móvel, porque nós vamos poder deslocar-nos com esta viatura a qualquer local, inclusive ao Porto Santo, o que dá uma vantagem em termos de mobilidade, mas também de congregar as pessoas nesta campanha do PS, nesta Madeira que queremos mudar”, declarou Cafôfo.