Pedro Calado visita Logislink e revela que “há falta de trabalhadores na Madeira em quase todas as áreas de atividade”

Logislink 1Logislink 2No âmbito da iniciativa “Empresas com Proximidade”, o vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, visitou hoje a Empresa Logislink – Terminal Logística, Lda, no Caminho da Cancela, uma empresa que emprega duas centenas de trabalhadores e distribui para continente e Açores e revelou que a empresa, do grupo Sousa, irá expandir a sua atividade num terreno ali próximo.

Também foi ali que Pedro Calado retomou um tema cujos contornos envolvem sempre alguma polémica, a falta de mão-de-obra na Região, uma queixa atribuída aos empresários. “A situação deixa-nos tristes, de alguma forma, pois continuamos a assistir, como os empresários referem, a enormes dificuldade em encontrar mão de obra, até de motoristas, sobretudo nos perídodos de verão, uma vez que a empresa tem 160 viaturas. Essa situação tem sido compensada por pessoas que têm regressado da Venezuela. Temos assistido, em todas as áreas de atividade, a uma procura constante por parte dos empresários e a uma grande dificuldade para que as pessoas se encaixem e estejam disponíveis para o mercado de trabalho”.

O governante acrescenta que, mesmo assim, “a taxa de desemprego na Madeira é de 7%, quando há quatro anos rondava quase os 16%. Temos hoje a taxa mais baixa de desemprego a nível nacional, mesmo com os regressados da Venezuela”.

Em matéria da visita à Logislink, Pedro Calado lembra que “esta empresa madeirense faz uma distribuição única em termos de logística, com a particularidade de ser um operador que tem uma área de distribuição marítima e evita que os camiões circulem dentro da área do Funchal, fazendo a distribuição ponto a ponto em vários zonas da Região”.