Associação de Futebol da Madeira divulga comunicado das Associações Distritais e Regionais de Futebol

A Associação de Futebol da Madeira divulgou um comunicado das Associações Distritais e Regionais de Futebol (ADR’s), relacionado com as declarações produzidas na Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol, realizada no passado dia 22.06.2019, na Cidade do Futebol.

Houve ali, em Fátima, uma uma Assembleia Geral Extraordinária da Federação Portuguesa de Futebol com a seguinte Ordem de Trabalhos, “ratificação das alterações ao regulamento Disciplinar das competições organizadas pela Liga Portuguesa de Futebol
Profissional, aprovadas na reunião extraordinária da Assembleia Geral da LPFP de 22 de Maio de 2019”.
A proposta mereceu aprovação unânime da Associações Distritais e Regionais de Futebol (ADR’s), com a seguinte declaração de voto: “as ADR’s analisaram a proposta apresentada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional e em virtude dos clubes, em Assembleia Geral, terem aceite as propostas e aprovado o documento, aprovam a decisão e nada têm a opor à sua aprovação”.
Após a votação, refere a Associação de Futebol da Madeira, “para espanto de todos, registou-se uma intervenção desproporcionada e desequilibrada do Sr. Presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), sem conteúdo, tecendo criticas pela crítica, colocando em causa a honorabilidade das ADR´s, por terem votado a favor da referida ratificação, que mereceu a imediata resposta, por parte de vários representantes das mesmas”.
É por este motivo que as ADR´s complementam a sua posição através deste comunicado referindo o seguinte:
“1. O desrespeito evidenciado para com as ADR´s é também para com os Clubes, que são a célula base de todo o sistema desportivo e a razão de ser da nossa actividade, pelo que vão manter a coerência deste comportamento defendendo sempre os interesses dos clubes;
2. As ADR´s, fundadoras da Federação Portuguesa de Futebol, muitas delas centenárias, são as responsáveis pela organização de centenas de competições em todo o país, onde praticam o Futebol semanalmente e durante todo o ano, dezenas de milhares de jovens, desde os escalões de formação aos séniores, da formação de milhares de treinadores, árbitros, dirigentes e PCS´s, e da implementação das Seleções Distritais, englobadas dentro do processo  inicial de detecção e selecção de talentos para as Selecções Nacionais, tendo sempre em conta o espírito desportivo e o Fair-Play;
3. É importante esclarecer que, os sócios do SJPF são os jogadores, enquanto os sócios das ADR´s são os Clubes, que estão na base do seu território, e que, por isso, terão necessariamente de os representar seja no âmbito profissional ou não, nomeadamente quando se efectuam propostas de alteração aos regulamentos, como é o caso, agora em análise, em que se pretende garantir e reforçar os direitos dos jogadores e treinadores, já que estas, visam permitir um maior controlo salarial e fiscal, registado, pela primeira vez, em toda a época desportiva, devidamente comprovada por entidades independentes (ROC);
4. A actividade das ADR´s é perfeitamente definida, autónoma, transparente e plural, enquadrada dentro dos preceitos indicados pela Lei Portuguesa, em concreto no âmbito do Futebol em geral, com Órgãos Sociais devidamente eleitos através de processos públicos e com associados bem conhecidos;
5. Repudiamos ainda, a forma e o modo como o Sr. Presidente do SJPF se manifestou, informando desde já, que as ADR’s actuam sempre na defesa dos interesses dos seus filiados, como sempre o fizeram, quer as outras entidades aceitem ou não, respeitando as decisões democraticamente aprovadas”.