Mário Pereira anunciou debate potestativo sobre alterações climáticas

O deputado centrista Mário Pereira anunciou hoje a realização de um debate potestativo na Assembleia Legislativa da Madeira sobre o “Impacto das alterações climáticas na Região, a sustentabilidade do nosso ecossistema, a biodiversidade, a ecologia, o ambiente, a paisagem e o mar.”
O impacto das alterações climáticas na Região, a sustentabilidade do nosso ecossistema, a biodiversidade, a ecologia, o ambiente, a paisagem e o mar, o respeito pelos animais serão os temas de referência do programa de governo que o CDS-PP Madeira irá apresentar à população da Madeira e Porto Santo, no âmbito das eleições regionais de 22 de Setembro, dizem os centristas.
O partido quer o debate potestativo para terminar a legislatura discutindo “um tema que diz respeito a toda a gente”, e abordando um problema colectivo da humanidade. “Estamos a falar do futuro da Madeira. Como região turística que queremos que seja bem sucedida ao longo de muito anos, precisamos claramente de conservar a Madeira para as futuras geração, tal como os nossos antepassados fizeram séculos após séculos para nos deixarem a Madeira de que nos orgulhamos hoje.”
Mário Pereira lembrou o património político do CDS nesta área específica, referindo que o programa de governo apresentado à população em 2015 dedicou um capítulo com 12 páginas, da 124 à 136, ao “Ambiente, Preservação da Natureza e Causa Animal”. Em 2014 fez chegar ao Parlamento o projecto “Recuperar a agricultura familiar para preservar a paisagem humanizada da Madeira”. Em 2017 fez aprovar na CMF o Cartão Eco. Em 2018 o Observatório da Paisagem, já aprovado pelo Parlamento. Em 2019, um projecto de valorização dos produtos regionais, com o sector público, escolas, creches, hospitais e lares a terem que dar preferência ao que é produzido na Madeira nas refeições que confeccionam.
“Esta luta pela sustentabilidade passa não só pela biodiversidade, por conservarmos a nossa fauna e flora, por respeitar os animais, numa convivência sã”, pontificou o parlamentar. “Mas também a preservação da paisagem urbana e agrícola, a luta por uma agricultura que seja amiga do ambiente, que conserve os poios, uma agricultura tradicional mais apelativa na qual os consumidores privilegiam o que é nosso. Temos também de conservar o nosso mar porque  o mar da Madeira tem sido muito maltratado nos últimos anos e para isso basta ver todas as obras que se fizeram, nas zonas ribeirinhas e marítimas sem respeito pelo ambiente. É preciso combater a poluição e fazer um combate acérrimo ao plástico porque está a destruir uma boa fonte de rendimento, que é a pesca”, defendeu Mário Pereira, que defendeu que o debate sobre as alterações climáticas tem de ser feito com equilíbrios. “Temos que pensar na economia e nos empregos”, nota. “Há hoje soluções muito eficazes para gerar emprego numa economia verde e é preciso, cada vez mais, energia limpa para que sejamos menos dependentes das energias fósseis que fazem com que economias locais enviem dinheiro para países, e nós não precisamos disso. A Madeira tem muito boas situações para a energia solar, eólica e de correntes hidráulicas. Sendo uma Ilha pequena, se tivermos esta preocupação das energias saudáveis, podemos ter a nossa independência energética com grandes vantagens para a nossa sustentabilidade.”
O debate potestativo está agendado para a próxima quinta-feira.