Albuquerque foi dizer à Calheta o que fez, o que vai fazer e os números da Madeira “contra a demagogia de certas criaturas”

Albuquerque PGRMcalheta1
Albuquerque foi ao Dia de um concelho que é o quarto da Região em termos turísticos, falar da obra feita, da obra que vai fazer e distribuíu elogios ao povo, aos professores e à Madeira sob o seu governo.
Albuquerque PGRMcalheta2
A Calheta comemorou o Dia do Concelho e estará em festa nos próximos dias.

O concelho da Calheta está a assinalar o seu 517º aniversário e foi com uma sessão solene, antes das festas que normalmente levam milhares de pessoas, que comemorou a passagem desta data. Um concelho que, como disse o presidente do Governo Regional, é o quarto em termos turísticos.

Miguel Albuquerque fez um discurso por escrito e nele referiu números que suportam esta hierarquização da Calheta, com esse quarto lugar a aplicar-se “tanto nos hóspedes, como nas dormidas, como nos proveitos – depois do Funchal, Santa Cruz e Porto Santo. Hoje tem 32 empreendimentos turísticos,1377 camas, 24 empresas de animação turísticas, 11 das quais operadores marítimo-turísticos. Pujante no alojamento – com 600 estabelecimentos com capacidade para 3.228 pessoas”.

Além disso, o chefe do Executivo fala em “património natural único, património edificado muito rico, um dos polos essenciais da oferta cultural da Região – o Museu de Arte Contemporânea nos últimos 3 anos – que registou 52.457 visitantes; 16 exposições temporárias, 11 concertos, 10 mil participantes nos diferentes projectos dos serviços educativos”.

Neste Dia do Concelho, Albuquerque não fez por menos, apostou nos números, na obra feita, na obra que está por fazer, disse que era para “combater a demagogia de certas criaturas”. “Tocou” em diversas classes, professores por exemplo, falou na Educação, na Saúde, no social e no povo da Calheta, a quem fez um elogio de sempre ter tomado “opções certas. Sempre soube trilhar o caminho correcto para o seu desenvolvimento”.

Albuquerque agradeceu aos “professores e funcionários das Escolas deste concelho pelo seu esforço e dedicação, pelo seu profissionalismo e exemplo, um agradecimento sentido pela educação de excelência que estão a dar aos nossos jovens. O reconhecimento e contabilização por parte do Governo Regional do tempo integral da Carreira dos Professores nesta Região – 9 anos, 4 meses e 2 dias – não acontece por acaso”.

E veio outro agradecimento, desta vez “aos 5 clubes deste concelho – aos seus dirigentes e associados pelo trabalho extraordinário que têm desenvolvido na formação social e desportiva dos jovens deste concelho. O meu Governo continuará a manter e reforçar o apoio financeiro a estas instituiçõeses  e das múltiplas Associações Culturais deste concelho e Casas do Povo”.

A Saúde, um setor que tem sofrido críticas desde há algum tempo, mereceu destaque, também, por parte do presidente do Governo. “A Calheta hoje oferece serviços da saúde de excelência à sua população. Temos oito centros de saúde – um por freguesia – a funcionar em pleno, com profissionais dedicados ao serviço da população. Hoje, na Calheta, a percentagem da população com médico de família atinge os 93% – a percentagem era de 85% em 2015. Houve um aumento substancial das consultas médicas.

A reconstrução da Estrada Regional entre o Jardim do Mar e o Estreito de Calheta, com um falso túnel e um túnel, “obra importantíssima em termos de segurança, no valor de 21 Milhões de Euros, cujo concurso será aberto até ao final do mandato do Governo”, foi nota de referência para Miguel Albuquerque, que terminou a intervenção assumindo que vai cumprir os compromissos com a Calheta”.

O final mesmo foi de enaltecimento da Madeira governada pelo PSD: “Hoje, na nossa Madeira temos mais investimento, mais emprego, mais protecção social, menos impostos, mais rendimento disponível para as famílias, melhor educação, melhor saúde, melhor economia”.