“Crianças que têm crianças”: um debate sobre a maternidade adolescente

O MDM–Madeira (Movimento Democrático de Mulheres) vai debater a problemática das mães adolescentes amanhã, no Hotel Orquídea, numa iniciativa que pretende aproveitar a celebração do Dia Internacional da Criança, a 1 de Junho, para discutir a maternidade e a paternidade entre os adolescentes. A iniciativa “Crianças que têm crianças” surge com o intuito de questionar como reduzir este fenómeno, como apoiar estes jovens e levar o Estado a honrar as suas responsabilidades.

“Mesmo tendo o número de mães adolescentes decrescido na Região, importa reflectir sobre as histórias das crianças que são mães e pais, muitas vezes antes dos 15 anos, com todas as repercussões pessoais e psicológicas para as próprias, para os seus filhos, para as suas famílias e para a sociedade”, diz o MDM.

“O Estado tem garantido o direito à educação sexual e o acesso ao planeamento familiar – previstos na lei portuguesa desde 1984 para fomentar a maternidade e a paternidade conscientes? Certo é que o planeamento familiar ainda não chega às meninas e meninos mais novos que dele podem necessitar, aos 13 ou 14 anos. E que tipo de apoio e acompanhamento tem quem é mãe ou pai ainda criança? Nem todas têm o apoio do parceiro, ou dos seus pais… até porque muitas provêm de famílias problemáticas, com baixos rendimentos e baixos níveis de escolaridade”, alerta o Movimento.

Nesta mesa-redonda estará Ana Mafalda, directora do Centro da Mãe; Helena Ornelas, psicóloga clínica, e Ivo Pereira, médico de família. O debate acontece às 18h30 do dia referido.