Candidata do CDS lembra importância dos fundos europeus na visita ao projeto de reflorestação do Montado do Louro

Pocinho iniciativa 16 de maio de 2019 BO projecto de reflorestação do Montado do Louro, na Ribeira das Cales, que faz partilha com o Parque Ecológico do Funchal, foi co-financiado pelos fundos comunitários em cerca de 90% do custo total. Um motivo para que a candidata do CDS Madeira ao Parlamento Europeu fosse visitar este projeto, privado, em dia de campanha eleitoral.

Margarida Pocinho acentuou a importância da União Europeia no desenvolvimento económico e social da Região. “Este projecto inclui a prevenção de incêndios, com uma comparticipação de 100%, e a reflorestação é de 90%”, indicou Margarida Pocinho. “Sabemos o que aconteceu com os incêndios e o quanto é essencial a protecção porque a nossa cidade está ali ao lado. Por outro lado, estas espécies endémicas têm características que se pegam mais à terra e por isso o perigo de as enxurradas poderem levar as árvores e outro material sólido pela encosta abaixo é muito menos, é, portanto, um segundo nível de segurança para a cidade”, referiu.

 

Europeias 2019

Margarida Pocinho acredita que sem os fundos comunitários “seria muito difícil” desenvolver projectos com a dimensão do Montado do Louro. “O co-financiamento é essencial porque não é rentável, e por isso louvo os privados que investem nesta área, porque se o retorno financeiro é diminuto, já o retorno é grande em termos de património da natureza e equilíbrio ecológico, mas também em termos de futuros projectos que podem nascer aqui dentro, como a agroflorestação, misturando a produção de alguns animais com este paraíso ecológico”.

“Este projecto pode ser um exemplo para o futuro”, disse Margarida Pocinho, a pensar na juventude. “São os jovens que têm de agarrar estes projectos e aproveitar estes fundos”, incentivou. “Retirar daqui mais valias para o turismo. Não podemos deixar morrer esta paisagem, mas também podem desenvolver outras áreas, como o agroturismo e a agropecuária”.

Para que mais projectos sejam aprovados pela União Europeia, Margarida Pocinho avisa que é preciso “a intervenção urgente” do Governo Regional no cadastro rústico e florestal.

Nesta quinta -feira, Margarida Pocinho foi conhecer as dificuldades da Aldeia da Paz e terminou o dia em Machico, em contactos com as populações.