BE assinalou com almoço 25 de Abril e 15 anos do partido na Madeira

O Bloco de Esquerda-Madeira celebrou hoje o 25 de abril e os 15 anos da estrutura regional, com um almoço e convívio com aderentes.
Rui Ferrão, o candidato às Europeias, disse que é necessário levar abril à Europa, que no seu espírito fundador era o lugar da Liberdade e da democracia, mas no presente exibe práticas anti-democráticas e tolera abusos contra a liberdade em alguns estados membros com governos de extrema direita.
Eis o teor da intervenção:
Precisamos levar abril até a Europa
Comemoramos, hoje, os 45 anos da revolução de 25 de abril, e também o 19º aniversário do Bloco de Esquerda/Madeira. É tempo de recordar as conquistas e o que falta fazer para cumprir.
 
Antes a Europa era a utopia, o sonho e Portugal o pesadelo.
A Europa era o lugar da Liberdade, da democracia, do desenvolvimento e da Paz.
Portugal vivia em Guerra, na ditadura, com censura, miséria e opressão, em isolamento.
Fez-se abril, e Portugal abriu-se, chegou a Liberdade e acabou a guerra. Foi a Revolução de Abril que trouxe o salário mínimo, os direitos laborais, a segurança social, a liberdade sindical, a liberdade de imprensa, o direito de opinião e de manifestação, a soberania popular, os apoios sociais, as férias pagas, a proteção das crianças e dos idosos, a democratização do ensino e da cultura, o Serviço Nacional de Saúde, e a Autonomias regionais da Madeira e dos Açores.
 
Portugal entrou para a Europa e foi bom. A Europa foi solidária ajudou ao nosso desenvolvimento, era a garantia da democracia e do respeito pelos Direitos Humanos.
Mas a Europa mudou. Hoje é castigadora, autoritária, impõe as suas regras que trazem a austeridade como a nova ordem social e económica.
Já não é garantia de Democracia, pelo contrario, anula as escolhas democráticas dos povos europeus. Há dez governos com participação da extrema-direita que controlam a Justiça e a Imprensa, desrespeitam os Direitos Humanos e são tolerados por uma Europa que não reage.
 
Precisamos de levar abril até à Europa e, sem hesitações, retirarmos aos usurpadores o que nos pertence a todos: a felicidade.
As eleições europeias são importantes para voltar a colocar as pessoas no centro das políticas europeias.
Para isso precisamos de mais deputados do Bloco de Esquerda.
Deputados que estarão lado a lado, pelo que é de todos: pelo Serviço Nacional de Saúde, pela escola pública gratuita, por melhores transportes públicos, contra a impunidade da banca, pelo emprego com direitos e contra a precariedade, por melhores pensões, pelos direitos LBGTI, contra a justiça machista, contra o racismo e pelo clima.
Viva o 25 de abril.