Albuquerque anuncia contratação de mais enfermeiros e acordo para o descongelamento faseado das carreiras

Miguel Albuquerque foi ao Congresso dos Enfermeiros anunciar várias medidas para a classe.

O presidente do Governo Regional esteve hoje presente na sessão de abertura do Congresso Insular de Enfermagem Madeira-Açores, organizado pelas Secções Regionais das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores da Ordem dos Enfermeiros. O evento decorre no Funchal, nos dias 4, 5 e 6 de abril de 2019, sob o tema principal “Value-added Nursing Care”. A Bastonária da Ordem dos Enfermeiros participou nesta cerimónia. Um momento para Albuquerque anunciar a contratação de mais enfermeiros e o acordo para o descongelamento de carreiras.

Miguel Albuquerque considerou importante fazermos uma retrospetiva relativamente à Saúde que tivemos no passado e a que temos agora. Antigamente, não havia médicos nem centros de saúde. A Autonomia e sobretudo a constituição dos sistemas regionais de saúde trouxeram uma melhor prestação de serviços de saúde. Os enfermeiros têm um pape determinante”.

O presidente do Executivo dirigiu-se à Bastonária para dizer que “aqui na Madeira ninguém desrespeita os enfermeiros, ninguém diz aos enfermeiros que são uns selvagens. Eu, como governante, posso estar ou não de acordo com as reivindicações das classes sociais, mas uma coisa que nunca fiz é insultar as classes profissionais. Pertenço a uma geração de políticos que estão a ficar fora de moda, não sou um político da internet nem do beijo fácil, sou um político que aprendi que quando se promete uma coisa, tem de cumprir. E outra coisa que eu fui educado foi ter a frontalidade de assumir as responsabilidades”.

Albuquerque aproveitou o dia em que se comemora a Revolta da Madeira para anunciar a abertura de concurso para a contratação de 128 enfermeiros que serão integrados no Serviço Regional de Saúde, anunciando também que “está garantido o acordo que prevê o descongelamento de carreiras, de forma faseada, entre 2019 e 2021, sendo que a verba dispendida é de 4 milhões de euros e abrange 1500 enfermeiros da Madeira”. Foi ainda assegurada a harmonização salarial para a remuneração em início de carreira, as 35 horas semanais e os 3 dias adicionais de férias”.